União Europeia

UE aprovam extensão das sanções económicas à Russia por mais seis meses

Os líderes da União Europeia aprovaram a extensão, por mais seis meses, das sanções económicas à Rússia. As sanções afetam os bancos russos, as empresas do setor da defesa e as companhias de petróleo.

Tamas Soki/EPA

Os líderes da União Europeia (UE) aprovaram esta quinta-feira a extensão, por seis meses, das sanções económicas contra a Rússia devido à sua participação no conflito ucraniano, anunciou o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk.

“A UE está unida na renovação das sanções económicas contra a Rússia”, escreveu Tusk na rede social Twitter.

A decisão, tomada durante a cimeira desta quinta-feira em Bruxelas, ainda deve ser adotada oficialmente pelos 28 países da União Europeia, provavelmente na próxima semana, de acordo com um porta-voz da Estónia, país que assegura a presidência rotativa da UE até ao final de dezembro.

As sanções afetam os bancos russos, empresas ligadas ao setor da defesa, companhias de petróleo e proíbem os europeus de fazer investimentos financeiros na Rússia.

Essas sanções foram decididas no verão de 2014, no auge da crise na Ucrânia, alguns meses após a anexação da Crimeia pela Rússia, seguida da ofensiva dos rebeldes pró-russos no leste da Ucrânia.

Moscovo respondeu decretando um embargo sobre produtos agrícolas europeus.

O conflito, que recentemente voltou a subir de tensão, já provocou a morte de mais de 10 mil pessoas, apesar do acordo alcançado em Minsk, em 2015, que supostamente estabelecia uma trégua.

A Ucrânia e os países ocidentais acusam a Rússia de apoiar os rebeldes separatistas no leste ucraniano, inclusive fornecendo-lhes armas, o que Moscovo sempre negou categoricamente.

As sanções estão a ser prorrogadas por períodos de seis meses, o que acontecerá novamente agora, de acordo com uma fonte diplomática.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
União Europeia

Mercados abertos num mundo em convulsão

Cecilia Malmström

Se alguma coisa aprendemos com a última década é que o comércio livre já não é um dado adquirido, pelo que temos de desenvolver mais esforços para manter os mercados abertos para as nossas empresas.

União Europeia

A Europa Social em questão

António Covas

A UE terá de conceber e implementar, por via de uma “cooperação reforçada”, um programa de ação em matéria de espaço social europeu, à semelhança do que se fez com o mercado único ou a moeda única.

10 de junho

A função social da esquerda /premium

Rui Ramos

Talvez a direita, noutros tempos, tenha tido o papel de nos lembrar que não somos todos iguais. As reacções ao discurso de João Miguel Tavares sugerem que essa função social é hoje da esquerda.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)