Ténis

Cirurgia na anca deixa carreira de Andy Murray no limbo

O britânico viu-se obrigado a abandonar o torneio de ténis de Brisbane na terça-feira e revelou que está a considerar realizar uma cirurgia à anca, deixando a sua carreira numa nuvem de incerteza.

AELTC / Joe Toth/EPA

Andy Murray deixou o futuro da sua carreira envolto em dúvida quando esta terça-feira abandonou o torneio de ténis de Brisbane e anunciou a possibilidade de ter de realizar cirurgia à anca para tratar a lesão que o afeta desde julho de 2017. O antigo nº1 mundial tem feito trabalhos de reabilitação à anca desde que se lesionou em Wimbledon, onde falhou em revalidar o título que tinha ganho em 2016, mas admitiu que “ainda não funcionou” e que tem de “reavaliar as opções”.

Numa publicação de Instagram, junto de uma foto de quando era pequeno, o escocês pediu desculpa por ter sido obrigado a abandonar o torneio na Austrália e disse estar a passar por “um período bastante difícil” há bastante tempo, que o levou a procurar a ajuda de “vários especialistas de anca”. “Foi-me recomendado que tratasse a anca de modo conservador desde o US Open, fiz tudo o que me pediram de uma perspetiva de reabilitação e trabalhei bastante para tentar voltar ao court”, escreveu o tenista.

Murray afirma que “continuar a reabilitação e dar tempo à anca para recuperar” é uma opção, mas admite a possibilidade de realizar cirurgia apesar de reconhecer que “as chances de sucesso não são tão altas quanto gostaria”, algo que tornou a ideia uma “opção secundária” que espera evitar. “É algo que talvez tenha de considerar, mas vamos esperar que não”.

Sobre o porquê de ter escolhido acompanhar a declaração junto de uma imagem de quando era pequeno, Murray explicou que a criança dentro de si “só quer jogar ténis e competir”, confessando que não se tinha apercebido do quanto ama o jogo “até estes últimos meses”.

Hey everyone.. Just wanted to write a little message on here for anyone interested in what in going through right now. Firstly I want to apologise to @brisbanetennis for withdrawing at late notice and to everyone who wanted to come along to watch me play(or lose????) The organisers couldn't have been more understanding and supportive and I'll always remember that. Thank you. I've obviously been going through a really difficult period with my hip for a long time and have sought council from a number of hip specialists. Having been recommended to treat my hip conservatively since the US Open I have done everything asked of me from a rehab perspective and worked extremely hard to try get back on the court competing. Having played practice sets here in Brisbane with some top players unfortunately this hasn't worked yet to get me to the level I would like so I have to reassess my options. Obviously continuing rehab is one option and giving my hip more time to recover. Surgery is also an option but the chances of a successful outcome are not as I high as I would like which has made this my secondary option and my hope has been to avoid that. However this is something I may have to consider but let's hope not. I choose this pic as the little kid inside me just wants to play tennis and Compete.. I genuinely miss it so much and i would give anything to be back out there. I didn't realise until these last few months just how much I love this game. Everytime I wake up from sleeping or napping i hope that it's better and it's quite demoralising when you get on the court it's not at the level you need it to be to compete at this level. In the short term I'm going to be staying in Australia for the next couple of days to see if my hip settles down a bit and will decide by the weekend whether to stay out here or fly home to assess what I do next. Sorry for the long post but I wanted to keep everyone in the loop and get this off my chest as it's really hurting inside. Hope to see you back on the court soon ????????❤️

A post shared by Andy Murray (@andymurray) on

“Sempre que acordo espero que esteja melhor, e é bastante desmoralizante quando vais para o court e não estás ao nível a que precisas de estar para competir”, escreveu o vencedor de três Grand Slam, que em 2016, depois de uma cirurgia às costas, venceu o terceiro Grand Slam e uma medalha olímpica. Então ficou de fora apenas durante dois meses. Agora a lesão na anca já lhe roubou quase seis meses da carreira, e não há perspetivas de melhoria.

Desde Wimbledon, Murray só realizou duas partidas — e foram de exibição. Uma foi contra Roger Federer, em novembro. Outra foi na passada sexta-feira, quando substituiu Novak Djokovic contra Roberto Bautista Agut,22º classificado do ranking, em Abu Dhabi. O jogo foi de apenas um set, e Andy Murray perdeu 2-6.

Antes disso, o tenista, que de momento se encontra no 16º lugar do ranking devido à ausência prolongada, tinha tentado participar no US Open em agosto, mas viu-se obrigado a abandonar a competição dois dias antes do início do torneio.

Na mesma publicação, Murray referiu que vai ficar na Austrália nos próximos dias “para ver se a anca assenta um bocado” e só decide se vai abandonar o país no próximo fim de semana. O Australian Open, o primeiro dos quatro torneios do Grand Slam, decorre em Melbourne na última quinzena do mês de janeiro. Andy Murray já foi a cinco finais da competição — 2010, 2011, 2013, 2015, 2016 — mas nunca venceu. Desta feita, já será uma vitória se o antigo nº1 do mundo conseguir competir.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site