Projecto já várias vezes antecipado, mas nunca concretizado, um SUV na gama da britânica Lotus é algo que parece, finalmente, a caminho de se tornar realidade. Pelo menos, foi isso que o CEO da marca, Jean-Marc Gales, admitiu, em declarações à Automotive News. E tudo porque já há dinheiro, trazido pelos novos proprietários – os chineses da Geely.

Não estamos limitados aos desportivos, que até é um segmento razoavelmente estável, a nível mundial, porque aquilo que está a crescer, a dois dígitos, são os SUV. Em particular, os SUV premium.”

Admitida a hipótese da Lotus enveredar, também ela, por esse caminho, Gales nem sequer vê como obrigatório que um futuro SUV Lotus tenha de ter uma plataforma em alumínio, tal como acontece com os carros da marca: “Porque é que haveria de ter? O alumínio é uma excelente solução para um desportivo, e certamente iremos manter-nos nesse caminho, nos próximos anos, até porque somos verdadeiros especialistas no assunto. No entanto, noutros segmentos, podemos perfeitamente ter aço, alumínio, materiais compósitos ou até mesmo fibra de carbono. O futuro está totalmente em aberto.”

SUV Lotus com plataforma Volvo/Geely

O futuro SUV da Lotus poderá vir a utilizar uma das plataformas da Geely. Nomeadamente, a Compact Modular Architecture (CMA), solução originalmente desenvolvida em colaboração com a sueca Volvo, outra das marcas do grupo chinês.

Caso o caminho seja mesmo este, a plataforma deverá ser fortemente alterada, no sentido de corresponder ao legado da Lotus, que passa por oferecer veículos ultraleves. Sendo que o próprio CEO da marca britânica avançou já que o veículo terá de ser mais largo, baixo e “bastante mais leve” que os rivais.