De Hollywood, nos Estados Unidos, diretamente para Londres, no Reino Unido. Na próxima cerimónia de entrega dos prémios British Academy Film and Television Arts (BAFTA) as estrelas da televisão britânica vão vestir-se de preto, em protesto contra o assédio sexual na indústria do cinema, tal como já aconteceu na cerimónia dos Globos de Ouro. É mais uma expressão mediática do movimento Time’s Up.

Uma carta que tem circulado nos bastidores da televisão e do cinema no Reino Unido diz que “metade das mulheres entre os 18 e os 24 anos já foram vítimas de assédio sexual no trabalho”, cita o site NME, e que “vestir algo preto na cerimónia da entrega dos prémios segue o exemplo das nossas ‘irmãs’, que fizeram o mesmo nos Globos de Ouro”, avança a BBC.

A noite negra dos Globos de Ouro foi mesmo das mulheres

O movimento, embora tenha começado em Hollywood, já teve apoio das estrelas de televisão inglesas. O mesmo site avança que é esperado que atrizes como Emma Thompson, Daisy Ridley, Emma Watson, Gemma Arterton, Keira Knightley, Jodie Whittaker, Emilia Clarke, Noma Dumezweni, Natalie DormerouFelicity Jones apareçam mesmo vestidas de preto.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A diretora dos BAFTA, Amanda Barrie, diz que está a criar-se uma “forte plataforma”. “Os prémios dos cinema são divulgados em todo o mundo e não há qualquer pressão da nossa parte para que alguém ‘fique em silêncio’ e no discurso de agradecimento fale apenas da equipa ou algo do género”, acrescentou.

A organização da cerimónia disse também que espera que todas as estrelas de televisão e cinema inglesas possam “consciencializar outras mulheres, cujas experiências são muitas vezes silenciadas e marginalizadas”, esclarece a BBC.

Este ano a atriz inglesa Joanna Lumley vai apresentar a cerimónia dos BAFTA, marcada para o próximo dia 18 de fevereiro. Pela primeira vez em mais de uma década, será apenas apresentado apenas por mulheres.