Patriarca de Lisboa

Católicos recasados são aconselhados a abster-se de ter relações sexuais

18.191

Cardeal-patriarca recomenda aos casais que, quando não possa ser declarada a nulidade do casamento anterior, e por isso vivam em situação irregular, se abstenham da prática de relações sexuais.

JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Os casais católicos que tenham recasado devem seguir uma “vida em continência”, ou sejam, sem a prática de relações sexuais. A recomendação, conforme divulga o Público, foi deixada pelo Cardeal-patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente num documento publicado esta quarta-feira com algumas normas que regulam o acesso aos sacramentos de pessoas em “situação irregular” — aquelas em que, depois de um casamento, houve rutura e união civil.

Nestes casos, o cardeal-patriarca aconselha aos casais que, nos casos em que não possa ser declarada a nulidade do casamento anterior, e por isso vive em situação irregular, se abstenham da prática de relações sexuais. Ainda que os católicos recasados possam, “em circunstâncias excepcionais”, aceder aos sacramentos, esta é a recomendação que a Igreja lhes propõe.

Nesses casos, e “após um longo caminho de discernimento”, a Igreja poderá permitir certos sacramentos, como a comunhão e a confissão — mas até estes devem ser cumpridos “de modo reservado, sobretudo quando se prevejam situações conflituosas”, defende D. Manuel Clemente.

Conforme explica o jornal, esta é a reação do Patriarcado de Lisboa ao apelo do Papa Francisco no sentido de a Igreja ter maior abertura às novas formas de estar em família. Uma situação defendida na exortação apostólica Amoris Laetitia com o que Papa concluiu os dois sínodos sobre a família datados de outubro de 2014 e 2015. A exortação, publicada em Abril de 2016, desafiava as dioceses dos vários países a colocarem de parte “a fria moralidade burocrática” e a serem misericordiosas com quem se divorciou ou vive uma união fora do casamento. “O confessionário não deve ser uma câmara de tortura, mas o lugar da misericórdia”, aconselhava o Papa Francisco no mesmo documento.

Ainda que realce a importância de avaliar a especificidade de cada caso (que podem implicar a apresentação em tribunal diocesano se houver dúvidas sobre a validade do matrimónio anterior), D. Manuel Clemente defende que os casais católicos que vivam nessa condição irregular possam ser reintegrados na comunidade, com uma maior participação nos atos religiosos e também em grupos de oração e reflexão. Uma reintegração que “não acaba necessariamente nos sacramentos”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Igreja Católica

Pastoral do vínculo

Pedro Vaz Patto

É uma proposta certamente difícil e contrária à cultura dominante. Mas a proposta de Jesus no Evangelho não era mais fácil no tempo em que foi formulada e contrariava também a mentalidade desses dias.

Igreja Católica

Um dia vai ser proibido ser católico

José Manuel Fernandes
6.106

As reacções à nota do Patriarca de Lisboa revelaram a incapacidade de ler e compreender o que lá estava escrito e, sobretudo, o desejo de submeter a Igreja à ditadura igualitária dos tempos que correm

Igreja Católica

O Patriarca e o sexo dos recasados

P. Miguel Almeida, sj
3.133

O Patriarca agiu como pastor da sua diocese ao publicar uma nota que tenta incluir as mais diversas sensibilidades, assumindo a sua fidelidade ao Papa e aos fiéis que lhe são espiritualmente confiados

Política

A hipocrisia das casas da esquerda /premium

Filomena Martins
190

Costa fez negócios de especulação imobiliária com idosos que tanto criticou. Iglesias comprou um chalet de luxo e violou o código de ética que impôs no Podemos. É a hipocrisia moralista da esquerda.

Europa

Falta de confiança  /premium

Manuel Villaverde Cabral

Por todo o lado são cada vez mais os eleitores que se abstêm ou que se viram para os «populistas» que tudo prometem e, até agora, não conseguem mais do que piorar as coisas, aumentando a instabilidade

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Detalhes da assinatura

Acesso ilimitado a todos os artigos do Observador, na Web e nas Apps, até três dispositivos.

E tenha acesso a

  • Assinatura - Aceda aos dados da sua assinatura
  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Inicie a sessão

Ou registe-se

Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)