Mariano Rajoy já não é desejado pela maioria dos seus eleitores para continuar à frente do partido e do Governo espanhol. De acordo com uma sondagem divulgada este sábado pelo El País, 62% dos votantes do PP (partido de centro-direita liderado por Mariano Rajoy) querem que o primeiro-ministro espanhol saia para dar lugar a um sucessor. A dimensão do desgaste de Rajoy ainda é maior se forem tidos em conta os inquiridos de todos os partidos: 85% dos espanhóis querem que Rajoy saia.

O diário espanhol divulga esta sondagem num momento em que se começa a discutir, ainda que em surdina, a sucessão de Rajoy no PP. O assunto é cada vez menos um tabu no partido. Um artigo do El País de 20 de janeiro dava conta disso mesmo: que pela primeira vez em 15 anos não há a certeza de que Rajoy será o candidato do partido nas próximas eleições gerais (equivalentes às legislativas em Portugal).

O próprio Rajoy já manifestou publicamente a vontade de concorrer pela sexta vez, mas nos bastidores do PP muitos admitem a substituição do líder. Apesar disso, Rajoy parece a salvo de golpes: é consensual que — se decidir avançar — ninguém ousará desafiá-lo.

A mesma sondagem vai mais longe e, além da substituição de Rajoy, pergunta quem defende que o próprio PP deve sair do Governo. E, aí, 65% dos eleitores defendem a mudança. Mas, neste caso, os valores são influenciados pelo eleitorado de outros  partidos: é isso que pedem 86% dos eleitores do PSOE, 95% do Podemos, 70% do Ciudadanos, mas apenas 18% dos eleitores do PP. Isto demonstra que a esmagadora maioria dos eleitores do PP (82%) querem que o partido continue no Governo, mas a maioria (62%) quer que seja com outro líder que não Rajoy.

A sondagem tem ainda outros pontos negativos para o Governo espanhol. Questionados sobre quem são os responsáveis pela retoma da economia do país, metade dos inquiridos (53%) defendem que esta não teve “nada a ver com as decisões do Governo” e apenas 42% consideram a intervenção do executivo de Rajoy como “decisiva” para a melhoria da economia.

O governo de Mariano Rajoy é minoritário. Se cumprir o mandato até ao fim, as eleições legislativas serão apenas em 2020.