Óbito

Morreu Henrique da Dinamarca, o príncipe que não deixaram ser rei

424

Henrique, que morreu esta terça-feira aos 83 anos, nunca recebeu o título de rei. Em protesto, o príncipe recusou-se a ser enterrado ao lado da sua mulher por nunca ter sido considerado seu igual.

BODO MARKS/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O príncipe Henrique da Dinamarca, marido da rainha Margarida, morreu na terça-feira, aos 83 anos, na sequência de uma infeção respiratória, anunciou a Casa Real deste país escandinavo. Henrique, que viveu sempre com a desilusão de não ter o título de rei, vai agora quebrar com a sua morte uma tradição com mais de 450 anos: não será sepultado ao lado da sua mulher, a rainha Margarida. Uma decisão que anunciou como forma de protesto por só lhe ter sido atribuído o título de príncipe-consorte.

“Sua Alteza Real, o Príncipe Henrique, morreu na terça-feira, 13 de fevereiro, às 23h18 no Castelo de Fredensborg”, uma residência real localizada a cerca de quarenta quilómetros de Copenhaga, anunciou em comunicado a Casa Real dinamarquesa.

O príncipe-consorte, de origem francesa, tinha sido obrigado a interromper as férias no Egito para regressar a Copenhaga, onde foi internado, a 28 de janeiro, com uma infeção respiratória. Após vários exames foi descoberto que tinha um tumor benigno no pulmão esquerdo. Henrique já estava retirado do serviço público desde 2016, um ano antes de lhe ter sido diagnosticada demência.

O príncipe da Dinamarca nasceu em Talence, perto de Bordéus e foi batizado com o nome Henri Marie Jean André de Laborde de Monpezat.

Filho de um empresário com negócios na Ásia, estudou Direito e Ciência Política, na Sorbonne, em Paris. Em 1963, depois de ter servido o exército francês na Guerra da Argélia, foi trabalhar como secretário da embaixada francesa em Londres, onde esteve até 1967.

No mesmo ano casou-se com Margarida, a herdeira ao trono dinamarquês na escola naval de Copenhaga, que viria a tornar-se rainha em 1972. Contudo, o título real de príncipe Henrique nunca foi mudado para rei. Henrique nunca escondeu o seu desapontamento por não ser considerado rei, tendo revelado em agosto do ano passado que se recusava a ser sepultado ao lado da rainha por nunca ter sido considerado seu igual.

Com este protesto, Henrique — que deixa dois filhos, o príncipe herdeiro Frederico e o príncipe Joaquim — quebra a tradição dinamarquesa de sepultar juntos os casais reais na catedral de Roskilde, a oeste de Copenhaga. Ainda não é sabido onde o príncipe será enterrado.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Moçambique

O homem que fazia tremer o chão

João Vaz de Almada
867

Afonso Dhlakama era um político sem filtros, sem subterfúgios, sem artimanhas e isso tornava-o diferente dos demais políticos. Era, sem dúvida, um one man show.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Detalhes da assinatura

Acesso ilimitado a todos os artigos do Observador, na Web e nas Apps, até três dispositivos.

E tenha acesso a

  • Assinatura - Aceda aos dados da sua assinatura
  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Inicie a sessão

Ou registe-se

Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)