Rádio Observador

Bial

Bial vai disponibilizar medicamentos para epilepsia e Parkinson na Coreia do Sul

A Bial vai distribuir medicamentos para a epilepsia e o Parkinson na Coreia do Sul. A farmacêutica aumenta assim para 60 o número de países onde está presente.

A farmacêutica BIAL anunciou esta terça-feira que assinou acordos para disponibilizar na Coreia do Sul os fármacos Zebinix e Ongentys, utilizados no tratamento da epilepsia e do Parkinson, respetivamente, elevando para 60 o número de países onde tem medicamentos comercializados.

“À semelhança do que já foi anunciado, este ano, para a China, com estas parcerias estamos a conquistar um novo mercado, também na Ásia, no nosso projeto de internacionalização”, indicou o diretor-executivo da BIAL, António Portela, referido no comunicado a que a Lusa teve acesso.

Segundo a nota informativa, a farmacêutica sediada na Trofa (distrito do Porto) está confiante na escolha dos parceiros, esperando que os dois medicamentos sejam comercializados na Coreia do Sul a partir de 2020.

Para a importação, embalagem e comercialização de Zebinix (acetato de eslicarbazepina) na Coreia do Sul, a BIAL assinou um acordo de licenciamento exclusivo com a empresa WhanIn Pharm.

Este fármaco, aprovado em 2009 pela Comissão Europeia como terapêutica para adultos com crises epiléticas parciais, foi o primeiro medicamento de patente portuguesa e da BIAL a chegar ao mercado.

Comercializado também nos Estados Unidos desde 2014, tem aprovação no tratamento de crises epiléticas parciais em adultos, adolescentes e crianças a partir dos quatro anos.

No caso do Ongentys (opicapona), o mais recente fármaco de investigação BIAL, aprovado em junho de 2016 pela Comissão Europeia para tratar pacientes adultos com doença de Parkinson e flutuações motoras que não estão controlados com outras terapêuticas, foi estabelecido um contrato semelhante com a sul-coreana SK Chemicals.

Já comercializado na Europa, em países como a Alemanha, Reino Unido e Espanha, a empresa pretende lançar este medicamento noutros países europeus, incluindo Portugal.

A epilepsia é um dos distúrbios neurológicos graves mais comuns em todo o mundo, estimando-se que afete mais de 50 milhões de pessoas, tendo a Coreia do Sul cerca de 150.000 pacientes com esta patologia, segundo dados de 2016 recolhidos pelo Health Insurance Review & Assessment Service.

A mesma fonte estima que o país tenha cerca de 96.500 pacientes com Parkinson, doença que, de acordo com a Associação Europeia da Doença de Parkinson (EPDA), atinge cerca de 6.2 milhões de pessoas a nível global.

A 9 de janeiro, a BIAL anunciou a comercialização do Ongentys na China, após um acordo de licenciamento exclusivo com a chinesa Wanbang – excluindo Hong Kong, Macau e Taiwan -, sendo este o segundo medicamento disponibilizado no mercado chinês, seguindo-se ao Zebinix.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Trabalho

Ficção coletiva, diz Nadim /premium

Laurinda Alves

Começar reuniões a horas e aprender a dizer mais coisas em menos minutos é uma estratégia que permite inverter a tendência atual para ficarmos mais tempo do que é preciso no local de trabalho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)