Portugal já executou quase metade do Plano de Desenvolvimento Rural (PDR), com pagamentos a mais de 16 mil projetos, num investimento de 1.800 milhões de euros, disse esta quinta-feira o ministro da Agricultura, Capoulas Santos.

O ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural declarou à agência Lusa que a taxa de execução do PDR, que decorre no âmbito do Portugal 2020, tem uma taxa de execução de 41%.

“Em três anos de execução do programa, Portugal é o terceiro Estado-membro da União Europeia com melhores resultados na aplicação do Plano de Desenvolvimento Rural. Ao mesmo tempo que batemos o record de propostas pois em três anos recebemos 48.243 candidaturas, quando o anterior programa, o PRODER, teve 41.500 candidaturas em sete anos”, salientou o governante.

Capoulas Santos lembrou que o PDR tem uma dotação global de quatro mil milhões de euros, para apoiar os agricultores até 2020. Das candidaturas recebidas, já foram estabelecidos contratos para pagamento a 16.092 delas, num total de 1.800 milhões de euros.

“O PDR é o mais importante programa de apoio ao investimento agrícola em Portugal e, em termos de execução, só temos à nossa frente a Irlanda e a Finlândia”, referiu o ministro. Até ao final do ano deverão ser apresentadas novas candidaturas de agricultores para receberem apoio para projetos de investimento, num total de 250 mil euros.

O ministro da tutela estimou que, nesses concursos, sejam investidos 110 milhões de euros em apoios a projetos agrícolas, 90 milhões em medidas florestais e 50 milhões em projetos de regadio. Os investimentos em projetos de regadio serão complementados com outros programas de apoio.