Congresso do CDS

JP impõe dress code e regras para não serem “encurralados” e “manipulados” pela imprensa

1.080

Jovens do CDS receberam mensagem com instruções sobre o que vestir e o que fazer se fossem "encurralados" pela imprensa no congresso. Líder admite conhecer mensagem mas nega ter partido dele

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Os militantes da Juventude Popular que participam este fim de semana no Congresso do CDS, em Lamego, receberam na véspera uma mensagem com instruções precisas para o Congresso: que tipo de roupa vestir para se “diferenciarem dos restantes congressistas” e como reagir caso fossem “encurralados” pela comunicação social. Ao Observador, Francisco Rodrigues dos Santos, presidente da JP, confirma existência da mensagem, que diz ser apenas para fins de “organização” dos mais de 300 congressistas da jota, mas nega que tenha sido iniciativa sua: “Não passou por mim”, diz, lembrando que a JP tem “mais de 300” membros eleitos para o Congresso.

“Como sabem, nestes Congressos, a Comunicação Social (CS) tenta encurralar jovens e fazer uma série de perguntas. É muito importante que quando alguém for questionado ou seja encurralado para ser entrevistado, não o faça sem falar primeiro com o Francisco Laplaine Guimarães [vice-presidente da JP]”, lê-se no terceiro ponto da mensagem, que o Observador tem acesso, que termina com um pedido para os jovens estarem “atentos” àquele grupo de troca de mensagens, porque é ali que vão ser passadas as “diretrizes nacionais”.

Na mensagem, que não aparece assinada, explica-se que a ideia de proibir os jovens de falar com a comunicação social é “apenas para proteção dos nossos militantes que ingenuamente podem ser manipulados”. Questionado pelo Observador, Francisco Rodrigues dos Santos, conhecido por “Chicão”, diz que “toda a gente é livre de falar” e que essas limitações têm apenas a ver com questões de organização interna: para a comunicação social falar com os jovens que sejam “mais representativos das várias estruturas e concelhias da JP”.

O quarto ponto da mensagem tem a ver com a indumentária do Congresso:

De forma a diferenciarmo-nos dos restantes congressistas, a ideia é que no sábado ninguém leve fato ou blazer. Somos jovens, vamos vestir-nos como tal. No domingo há tempo para formalismos”, lê-se.

Francisco Rodrigues dos Santos confirma que houve essa indicação de dress code para a JP se distinguir do resto do CDS como sendo precisamente “uma estrutura de jovens”. “Mas obviamente que cada um faz o que bem entende, já vi hoje vários jovens de fato”, diz Francisco Rodrigues dos Santos ao Observador.

[“Respondo como Luís Montenegro no Congresso do PSD. Se algum dia tiver motivação e apelo não peço autorização a ninguém”. Veja no vídeo a entrevista de Francisco Rodrigues dos Santos ao Observador no arranque do congresso]

Outra das indicações que é dada aos jovens centristas é para estarem em força na sala do Congresso “às 13h50 para a apresentação da Moção da JP, pelo Presidente da JP, Francisco Rodrigues dos Santos”. E explicam porquê: “É um momento muito importante para a JP e precisamos de demonstrar força”. De facto, no momento em que, esta tarde de sábado, “Chicão” subiu ao palco do pavilhão multiusos de Lamego, os vários grupos da JP espalhados pela sala irromperam em aplausos ruidosos, e gritaram “JP! JP! JP!” no final da intervenção.

“É muito importante estarmos coordenados nas intervenções. Peço-vos atenção a este grupo quando vos passar as “directrizes” nacionais”, lê-se ainda no final da mensagem, que termina com a pergunta sobre se algum jovem centrista “está a pensar discursar” durante a noite de sábado — tempo reservado para as intervenções políticas.

[Veja no vídeo o primeiro discurso do líder da Juventude Popular neste congresso]

O nome de Francisco Rodrigues dos Santos foi sendo referido ao longo do dia por várias figuras de destaque do partido. Adolfo Mesquita Nunes, que é um dos rostos do CDS liberal em contraposição com o CDS tradicional e conservador defendido pelo líder da JP, previu, no seu discurso, que “Chicão” vai ser deputado numa próxima legislatura. “Posso dizer que aposto hoje que serás deputado do CDS”, disse. Também Luís Pedro Mota Soares elogiou o presidente da JP, a quem chamou Francisco Rodrigues “Forbes” dos Santos, e a quem elogiou o discurso: “Percebe-se porque a Forbes te escolheu a ti e não a jovens de outros partidos como promissor”, disse, referindo-se à recente distinção que a Forbes deu ao presidente da JP na categoria de jovens promessas sub-30 na área de Direito e Política.

[Veja no vídeo o segundo discurso do Francisco Rodrigues dos Santos]

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rdinis@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)