O último trabalho científico de Stephen Hawking foi terminado cerca de duas semanas antes do físico morrer, no início do mês de março. O trabalho contem as bases teóricas para a descoberta dos universos paralelos, avança o jornal espanhol ABC.

O artigo foi escrito em parceria com o colega Thomas Hertog, também ele físico britânico que há vários anos tenta provar a existência de um multiverso, uma realidade complexa na qual podem existir ao mesmo tempo vários universos, adianta o mesmo jornal. Chama-se “Uma Breve Saída da Inflação Eterna” (em inglês, “A Smooth Exit from Eternal Inflation”) e as últimas revisões foram aprovadas no passado dia 4 de março, dez dias antes do falecimento de Hawking. Segundo o jornal britânico The Sunday Times, o artigo vai ser publicado numa revista cientifica quando o processo de revisão estiver completo.

O trabalho que o físico deixa permite ainda construir uma sonda equipada com sensores específicos e capazes de recopiar provas da existência de outros universos paralelos ao nosso, adianta o espanhol ABC. Uma sonda que para o físico, seria capaz de, pela primeira vez, medir diretamente o multiverso. Até agora, os que tentaram mostrar a existência destes universos paralelos nunca conseguiram fazer previsões concretas.

Thomas Hertog, professor de física na Universidade Lovaina, na Bélgica, disse que o artigo escrito com Hawking pretende “transformar a ideia do multiverso num marco científico comprovado”. Se se conseguir provar que existem, afinal, vários universos, os autores do artigo vão ser premiados com o Nobel. No entanto, apenas Thomas Hertog poderia receber o prémio, uma vez que os prémios da academia sueca não são entregues a título póstumo.

Stephen Hawking faleceu no passado dia 14 de março, aos 76 anos, na sua casa em Cambridge. Sofria de Esclerose Lateral Amiotrófica desde os 21 anos, mas surpreendeu a comunidade médica por conseguir viver mais de 50 anos com a doença.

A obra mais conhecida que escreveu é “Uma Breve História do Tempo”, um dos livros mais vendidos do mundo.  Além dos trabalhos publicados, Stephen Hawking foi professor na Universidade de Cambridge e fez parte de uma das mais importantes pesquisas no ramo da física, a “Teoria de Tudo”, que deu também nome ao filme que foi feito sobre o cientista, me 2014.

(Artigo corrigido às 12:00 de quinta-feira, dia 22, com a alteração do termo “multiuniversos” para a designação correta, multiversos)