Os detetives britânicos responsáveis pela investigação da tentativa de homicídio do ex-agente russo da filha acreditam que Sergei e Yulia Skripal podem ter sido envenenados à porta da sua casa, na cidade inglesa de Salisbury. Foi aí que os investigadores encontraram uma maior concentração do composto químico usado para envenenar os Skripal. O agente nervoso já tinha sido detetado noutras zonas da moradia, mas nunca em tão grande quantidade.

Dean Haydon, comissário-adjunto, explicou que, “nesta altura”, os investigadores acreditam “que os Skripal entraram em contacto com o agente nervoso na porta de entrada”. “Estamos a concentrar muitos dos nossos esforços na casa e nos seus arredores. Aqueles que vivem no bairro dos Skripals podem contar com a presença de agentes da polícia que vão continuar as investigações”, afirmou o comissário, citado pelo The Guardian, garantindo que o risco para quem vive nas redondezas é muito baixo.

Segundo o jornal, a polícia britânica vai manter o foco da investigação na casa de Sergei e Yulia Skripal. “As circunstâncias únicas desta investigação significam que os agentes vão muito provavelmente manter-se na área durante várias semanas e meses”, disse ainda Dean Haydon. Há 250 agentes a trabalhar no caso.