Stephanie Clifford — ou “Stormy Daniels”, como é conhecida na indústria da pornografia — terá, alegadamente, conhecido o presidente norte-americano Donald Trump durante um torneio de golfe em Lake Tahoe, no Nevada. Era o Verão de 2006. Na mesma altura (e quando Trump era já casado com Melania) os dois tiveram um primeiro caso extraconjugal no quarto de hotel onde Trump se encontrava hospedado. A história foi noticiada em janeiro pelo Wall Street Journal.

O mesmo jornal acrescentava então que, quase uma década depois, e precisamente um mês antes das eleições norte-americanas, o advogado de Trump, Michael Cohen, pagou 130 mil dólares a Stormy Daniels para que esta se mantivesse em silêncio quanto à relação extraconjugal.

Donald Trump nunca reagiu. Mesmo após a entrevista de Stormy Daniels à CBS, no dia 25 de março. Então, e entrevistada por Anderson Cooper, Daniels confirmou o pagamento do advogado de Trump — o próprio Michael Cohen o admitiu em feveireiro –, acrescentando que chegou a ser ameaçada em nome do presidente norte-americano. “Estava num parque de estacionamento, a caminho de uma aula de fitness com a minha filha. Um homem aproximou-se e disse: ‘Deixa o Trump, esquece a história’. Depois inclinou-se, olhou para a minha filha, e afirmou: ‘É uma menina linda, seria uma pena se alguma coisa acontecesse à mãe“, contou a atriz pornográfica.

Esta quinta-feira, por fim, Donald Trump reagiu à polémica que se adensou desde a primeira entrevista de Stormy Daniels. Questionado a bordo do avião presidencial Air Force One sobre o pagamento a Stormy Daniels, o presidente norte-americano respondeu apenas, sucintamente: “Não sabia do pagamento. Terão de perguntar ao Michael [Cohen]”.

O advogado de Stormy Daniels, Michael Avenatti, reagiu entretanto à declaração de Trump, garantindo que o caso ganhou uma força “exponencial”. “Não pode existir um acordo quando uma das partes afirma que não tem qualquer conhecimento disso”, explicou Avenatti. Em março, Avenatti interpôs uma ação contra Trump para anular o acordo, alegando que Trump não o assinou. Também em março, em entrevista concedida à NBC, Michael Avenatti afirmou que há pormenores por revelar da relação entre a cliente e Trump. “Ela está preparada para falar de detalhes íntimos relacionados com Trump. Ela pode descrever os genitais e várias conversas que tiveram, que não deixam dúvidas sobre este mulher estar a dizer a verdade”, garantiu o advogado.