Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Teve os seus contornos dramáticos, mas no final acabou por sorrir para os portugueses: em vésperas de receber o Birmingham, o Wolverhampton assegurou este sábado a subida à Premier League beneficiando de um golo nos descontos de Neal Maupay que deu o empate ao Brentford na deslocação a Londres para defrontar o Fulham (1-1). Desta forma, o conjunto comandado por Nuno Espírito Santo passou a ter dez pontos de avanço sobre o terceiro classificado quando faltam apenas três jornadas por disputar e, caso vença amanhã, garante também o título de campeão do Championship, à frente do grande rival ao longo da prova, o Cardiff City.

Já com os avançados Hélder Costa e Ivan Cavaleiro no plantel, após passagem pelo Mónaco após formação no Benfica, os wolves fizeram um forte investimento em jogadores portugueses na presente temporada, sobretudo com a contratação do médio Rúben Neves, que saiu do FC Porto por 18 milhões de euros, a que se juntaram o central Roderick Miranda (ex-Rio Ave), o lateral Rúben Vinagre (ex-Mónaco) e o avançado Diogo Jota (do Atl. Madrid, que tinha estado na época anterior emprestado ao FC Porto de… Nuno Espírito Santo). Há ainda Pedro Gonçalves, médio formado no Desp. Chaves e no Sp. Braga que foi depois para Valência e rumou esta temporada a Inglaterra.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Além dos muitos portugueses, existem outras caras conhecidas no plantel do antigo treinador dos azuis e brancos, casos de Boly (central cedido pelos dragões, com opção de compra) e Leo Bonatini, avançado que passou pelo Estoril.

Com 42 jogos disputados (menos um do que os rivais), o Wolverhampton soma já 92 pontos, com 28 vitórias, oito empates e seis derrotas. Em paralelo, o líder do Championship tem o melhor ataque da prova (76 golos) e a segunda defesa menos batida (36), apenas superado pelo Cardiff City (35). O conjunto de Nuno Espírito Santo, que teve em Rúben Neves um dos principais destaques ao longo da temporada (seis golos em 38 jogos no Campeonato), regressa assim ao principal escalão do futebol inglês seis anos depois.