Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Foi preciso esperar até perto dos noventa minutos para se ouvir gritar de felicidade do Estádio da Luz. E a alegria nem sequer veio dos donos da casa: Hector Herrera chorou de emoção por ter marcado o golo que valeu ao Futebol Clube do Porto a recuperação da liderança do campeonato. Mas foi preciso sofrer para lá chegar: dos dois lados da barricada, águias e dragões precisaram de suar muito, reclamar muito e sofrer muito ao longos dos 90 minutos do clássico. E o sangue, suor e lágrimas ficou-lhes estampado no rosto.

Entre umas quantas dores físicas, outras dores morais e umas impaciências e frustrações, houve ocasiões em que nem os jogadores em campo, nem os treinados nos bancos conseguiram disfarçar a pressão do clássico. Houve gritos, queixas e preocupações. Houve tristeza, celebrações e orgulho. E houve fotografias que testemunharam esses momentos intensos. Veja-as na fotogaleria.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR