Uma ambulância do INEM foi impedida de passar imediatamente numa passagem de acesso restrita do Aeroporto de Lisboa, este sábado, atrasando em 20 minutos o socorro a uma paciente epilética que desmaiou e se feriu o queixo. A informação é dada pelo jornal Correio da Manhã, que garante que segurança disse não ter autorização para deixar ambulância passar.

O incidente ocorreu na manhã de sábado, pelas 8h30, quando a equipa do INEM foi barrada na passagem conhecida por P6, de acesso restrito, por um segurança. Apesar de estarem no local agentes da PSP com informação para acompanhar a equipa médica até à doente, o INEM só pode passar depois de vir a autorização formal, cerca de 20 minutos depois. Pelo meio, seguranças fizeram vistoria à ambulância e revista à equipa.

A paciente que esperou 20 minutos por socorro era uma passageira norte-americana de 43 anos, que sofre de epilepsia e que desmaiou, ferindo-se no queixo ao cair na pista. Segundo o Correio da Manhã, quando foi finalmente assistida estava em hipotermia e hipotensa (com temperatura corporal e pressão arterial baixas). No Hospital de Santa Maria, para onde foi transportada, foi-lhe dada pulseira laranja, o segundo grau mais urgente na escala de triagem do sistema de Manchester.

A polícia confirmou ao CM que o acesso à passagem P6 é restrita e cumpre normas de segurança internacionais, mas que elaborou um auto sobre o ocorrido. A ANA (Aeroportos de Portugal) não comentou o incidente em causa, alegando não ter ainda conhecimento do episódio.