O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, disse que o Irão está a fornecer armas avançadas para a Síria, o que representa um perigo para Israel, sendo preferível enfrentar Teerão “agora do que mais tarde”.

Netanyahu disse hoje, durante uma reunião de gabinete, que estão “determinados a bloquear a agressão do Irão” contra Israel.

“(…) Mesmo que isso signifique lutar. Melhor agora do que mais tarde”, declarou o primeiro-ministro.

“Nós não queremos uma escalada (na situação), mas estamos prontos para qualquer cenário”, acrescentou.

Israel alertou repetidamente que não tolerará uma presença militar iraniana permanente na vizinha Síria.

O Irão é um importante aliado do Presidente sírio, Bashar al-Assad, e forneceu ajuda militar crucial para as suas forças. Por outro lado, o Irão é um dos maiores “inimigos” de Israel.

Hoje, mais cedo, o Irão advertiu que os Estados Unidos vão arrepender-se “como nunca” se decidirem deixar o acordo internacional nuclear iraniano, como uma ameaça ao Presidente norte-americano, Donald Trump.

O acordo nuclear com o Irão foi concluído em Viena entre Teerão e o Grupo 5+1 (China, Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Rússia e Alemanha), antes da chegada à Casa Branca de Donald Trump. O acordo regula as atividades nucleares de Teerão, de modo a garantir sua natureza exclusivamente pacífica.

“Hoje, todas as tendências políticas sejam de direita, esquerda, conservadores, reformistas e moderados, estão unidas (…). Trump deve saber que o nosso povo está unido, o regime sionista (Israel) deve saber que o nosso povo está unido”, disse Rohani.