A noiva vai chegar atrasada? De que cor vai a rainha Isabel II? Será que o príncipe Harry vai sem barba? O casamento real está a aproximar-se e as expectativas (e dúvidas) do público que assiste a este momento da história são muitas. Há apostas para todos os gostos: desde as mais comuns às mais extravagantes. Aqueles que jogam pelo seguro apostam na cor do vestido de Meghan, no tipo de vestuário de Harry ou na cor do chapéu da rainha Isabel II, mas o mundo está cheio de loucos e isto das apostas não é brincadeira: há quem desenhe os cenários mais bizarros e “catastróficos”, apostando que o carro em que Meghan vai ser transportada vai avariar ou que vai haver um corte de eletricidade na Capela de St. George, lê-se no Express.

Acontecimentos bizarros à parte, há uma questão que se impõe: será que a noiva vai chegar uns minutos atrasada, como “manda” a tradição, ou vai fugir à regra? A maioria acredita que Meghan vai fazer o príncipe Harry esperar alguns minutos — tal como aconteceu com Kate e William, em 2011. E ele, vai aparecer barbeado e com o uniforme militar? Eles, os apostadores, dizem que sim. Mas há apostas bem mais divertidas. As opções para o corte de cabelo que o príncipe vai apresentar são variadas: entre um buzz-cut, cabelo rapado e um transplante capilar, encontram-se ainda um rabo de cavalo e uma peruca. Sim, leu bem, até um rabo de cavalo e uma peruca.

Se os noivos deixam os apostadores com os nervos em franja, também a rainha Isabel II provoca alguma ansiedade: de que cor vai ser o chapéu que vai levar à cerimónia? Eis a questão sobre a qual todo o mundo fala. É verdade, a extravagância da rainha Isabel II já não é novidade: as cores dos chapéus e fatos que vai usar em cerimónias e eventos são constantemente alvo de apostas. Assim sendo, desta vez não é diferente. É sabido que a rainha gosta de se destacar no meio da multidão, pelo que, apostar nas cores neutras é acertar (muito) ao lado. Sites como o Ladbrokes e William Hill apontam o verde como sendo a escolha mais provável, mas há também quem aposte no rosa, amarelo ou azul.

Mas nem só de cores é feita a festa. Festa que é festa tem música à mistura e se já é certo que Elton John vai estar presente — o amigo de longa data da princesa Diana cancelou vários concertos para poder assistir à cerimónia –, resta ainda saber quem vai atuar. As Spice Girls também constam da lista: afinal, quem é que não gostaria de ouvir “Spice Up Your Life” no seu casamento? Ed Sheeran e John Legend também estão na lista de apostas do site William Hill — talvez os noivos optem por uma onda pop moderna, quem sabe?

Mas não ficamos por aqui. De acordo com o Independent, o site Paddy Power tem uma lista, bastante completa, com os nomes de possíveis convidados, na qual se incluem Patrick J. Adams — que contracenou com Meghan na série Suits –, Serena Williams, Boris Johnson, Barack e Michelle Obama, “Alguma das Kardashians” e até Robert Mugabe. Quando até o estado do tempo é motivo para aposta, significa que o casamento real é, de facto, um bom motivo de negócio. Se vai chover ou não, também só no sábado se saberá, mas com a atual previsão de sol, a resposta favorita é “não”.

Apostas há muitas e algumas podem sair furadas. Segundo a Forbes, na quinta-feira, a mãe de Meghan, Doria Ragland, liderava na lista de pessoas que poderiam acompanhar a noiva ao altar. O segundo lugar era ocupado por Thomas Markle (mesmo depois da polémica) e só depois aparecia o príncipe Carlos. Quem apostou nos pais da noiva acabou por perder bom dinheiro: esta sexta-feira, o Palácio de Kensignton anunciou que vai ser o príncipe de Gales, a pedido de Meghan, quem vai ter a honra de a levar ao altar.

E se pensa que as apostas ficam por aqui, está enganado. Há quem já pense nos filhos do príncipe Harry e da futura duquesa de Sussex: 2019 é o ano que a maioria aponta para o nascimento do bebé e entre os nomes com mais probabilidades de serem escolhidos aparecem Alice, Harry, Arthur e Henry. As apostas relacionados com o casamento real não param de surgir desde que o noivado foi anunciado, em novembro de 2017, e, segundo o site William Hill, podem mesmo chegar aos quatro milhões de libras. Nem mesmo o tipo de vinho — o californiano lidera a tabela, seguido do britânico — que vai ser servido no dia da cerimónia ficou de fora, já viu?