Linda Morad, uma habitante de Connecticut, um estado no norte dos EUA, na costa atlântica, foi alertada por uns movimentos estranhos a bordo do seu Subaru, fechado à porta de casa, aliado ao facto de as luzes estarem ligadas. Temendo que fossem ladrões, deslocou-se até ao veículo, “armada” com um telemóvel, pronta a afugentar o meliante. Porém, este não era daqueles que se assustam facilmente.

Dentro do Subaru, Morad descobriu não um ladrão, mas sim um urso preto, de tamanho médio – felizmente! – que por artes mágicas tinha conseguido abrir a porta do carro, onde entrou em busca de comida. Sucede que acabou por empurrar a porta de tal forma que ela se fechou sozinha. Preso no interior, rapidamente o apetite deixou de ser o sentimento dominante, para ser o pavor a assumir o controlo.

Um urso, mesmo um exemplar não muito grande, é sempre um animal de respeito e vem equipado, de origem, com garras nas quatro patas, um conjunto de dentes invejáveis e umas centenas de quilos que fazem sempre a diferença. Como não conseguia encontrar uma forma de sair, desatou a espalhar o nervosismo pelo tablier, assentos, revestimento do tejadilho e tudo mais que conseguia trincar, ou rasgar com as patas.

Morad, que gostava bastante do Subaru, mas gostava ainda mais da sua própria pele, optou por deixar o urso fechado dentro do carro e chamar a polícia para resolver o problema. É claro que a espera adicional apenas permitiu ao animal continuar a rearranjar o interior, mas o polícia acabou por chegar e libertar o bicho, que fugiu a grande velocidade para o mato. Deixou para trás uma conta calada para a proprietária pagar.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR