Transportes Aéreos

Costa anuncia ligação direta da TAP entre Lisboa e São Francisco

235

O primeiro-ministro anunciou que Lisboa será a primeira cidade da Europa do Sul a ter uma ligação aérea direta com São Francisco, na costa oeste dos EUA, através da TAP, a partir de 2019.

NUNO VEIGA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O primeiro-ministro anunciou esta quarta-feira que Lisboa será a primeira cidade da Europa do Sul a ter uma ligação aérea direta com São Francisco, na costa oeste dos Estados Unidos, através da TAP, a partir de 2019.

António Costa deixou esta mensagem após uma reunião com responsáveis do Silicon Valley Bank – uma das mais prestigiadas instituições financeiras em capital de risco -, num discurso em que procurou salientar a existência em Portugal de um ecossistema favorável à abertura de negócios inovadores na área das tecnologias.

“Lisboa será a primeira cidade da Europa do Sul a ter uma ligação aérea direta com São Francisco”, afirmou o primeiro-ministro.

Numa breve intervenção perante uma plateia de especialistas em negócios de ‘startups’, o líder do executivo português falou na existência de paralelismos entre Portugal e o estado da Califórnia.

“Estão ambos em costas oeste, uma do continente europeu, a outra na América do Norte; temos um bom clima; possuímos ambos uma ‘Golden Gate’ [Ponte 25 de Abril] e elétricos na cidade; somos conhecidos por dispor de bons lugares para a prática do surf; e temos bom tempo na maior parte do ano”, começou por referir o primeiro-ministro.

A seguir, o primeiro-ministro apresentou vantagens algumas competitivas de Portugal para os investidores em projetos tecnológicos, pegando nos exemplos das multinacionais Google e Cisco.

“Temos um vibrante ecossistema de negócios e a prioridade do Governo é apoiar as ‘startups’. Sei que algumas ‘startups’ têm nome inglês, mas têm uma grande base em Portugal”, disse, numa nota de humor.

A seguir, o primeiro-ministro deixou uma mensagem de caráter político sobre o caráter consensual deste tema no país: “Esta é uma visão de futuro para Portugal”.

“Venham, não só para nos visitar, mas também para investirem e trabalharem connosco”, acrescentou.

A seguir, também o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, fez um discurso sobre “as vantagens competitivas de Portugal”, falando então na existência de “boas infraestruturas” e de uma “reconhecida boa qualidade de vida”.

“Somos um país que tem orgulho da sua abertura ao exterior, no comércio, na vida social ou na cultura”, acentuou o titular da pasta da Economia.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)