Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O jornal Marca dedica a primeira página desta quarta-feira exclusivamente a Cristiano Ronaldo, com uma manchete que é clara quanto ao que o jogador representa para o Real Madrid: “Não haverá outro igual”. E acrescentou: “Foi-se embora Cristiano, a lenda dos 451 golos”. Além dessas frases, o jornal desportivo mais vendido de Espanha tem uma fotografia do jogador e o resto da página preenchido com uma bola de futebol por cada um dos golos que Ronaldo fez ao serviço do Real Madrid. E o clube ao qual os marcou. A fotografia escolhida também não foi inocente: a do golo de bicicleta que Ronaldo marcou na Liga dos Campeões ao seu novo clube: a Juventus.

A capa do jornal Marca inteiramente dedicada a Cristiano Ronaldo.

O catalão Sport fala em “choque Cristiano” e diz que o Real Madrid cedeu ao pedido da sua estrela e vendeu o jogador por 105 milhões à Juventus. Diz ainda que o clube blanco ficou sem nenhuma referência depois do adeus de Ronaldo e do treinador Zidane e que, por isso, o presidente Florentino Pérez deverá abrir os cordões à bolsa. O também desportivo catalão Mundo Deportivo escreve que Florentino Pérez está agora a tentar Neymar.

O jornal generalista nacional El País é mais comedido e dedica apenas o canto inferior esquerdo à saída de Cristiano Ronaldo do Real Madrid. Escreve o diário que “Ronaldo vai para a Juventus depois de marcar uma época dourada no Real Madrid“. O jornal escreve nessa chamada de primeira página que a tensão entre o clube e o jogador aumentou porque o português queria ser aumentado e que o clube assumisse a multa que teve de pagar ao fisco espanhol. O El Mundo faz uma chamada ainda mais discreta, dizendo apenas que Cristiano Ronaldo forçou um adeus sem honras de despedida.

O catalão La Vanguardia também faz uma chamada discreta a informar que Ronaldo deixou o Real Madrid na mão para seguir para a Juventus. O diário ABC prefere dar um destaque de capa inteira a denunciar que PSOE está a reforçar a autonomia de Aragão. Sobre Ronaldo, nem uma única palavra na primeira página.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR