Pesca

Câmara de Peniche apoia pescadores e reivindica mais quota de pesca da sardinha

274

A Câmara de Peniche vai pedir ao Governo que defenda em Bruxelas um aumento da quota de captura de sardinha e apelou aos restantes municípios piscatórios do país que assumam idêntica posição.

LUÍS FORRA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A Câmara de Peniche vai pedir ao Governo que defenda em Bruxelas um aumento da quota de captura de sardinha e apelou aos restantes municípios piscatórios do país que assumam idêntica posição em defesa dos pescadores.

Numa moção em que manifesta “de forma inequívoca o seu apoio aos pescadores da pesca da sardinha e às suas empresas”, a Câmara Municipal de Peniche deliberou solicitar ao Governo que “defenda, até à exaustão, que existem condições para o exercício da captura de sardinha nos próximos anos, sendo inclusive compreensível o aumento da quota já para este ano”.

A moção aprovada esta segunda-feira pelo executivo municipal surge na sequência da paralisação das 25 traineiras e cerca de 500 pescadores que operam no Porto de Peniche e que no dia 19 ficaram em terra em protesto contra o excesso de fiscalização à pesca do cerco e a diminuição das quotas de pesca permitidas por lei.

Os pescadores suspenderam a paralisação depois de num encontro com organizações de pescadores o secretário de Estado das Pescas, José Apolinário, se ter comprometido a bater-se, em Bruxelas, pelo prolongamento da pesca da sardinha até setembro, no âmbito das negociações que decorrem entre os governos de Portugal e Espanha e a Comissão Europeia.

As negociações deverão estar concluídas até quarta-feira desta semana, pelo que a Câmara de Peniche determinou ainda o envio “urgente” da moção aprovada aos municípios de Viana do Castelo, Póvoa do Varzim, Vila do Conde, Matosinhos, Aveiro, Ílhavo, Figueira da Foz, Nazaré, Setúbal, Sesimbra, Sines, Lagos, Lagoa, Portimão, Loulé e Olhão, “de forma a apelar à tomada de posições convergentes em defesa do futuro da pesca da sardinha em Portugal”.

A pesca da sardinha, vinca a moção, “é determinante para a economia do concelho de Peniche”, tendo a comercialização daquela espécie “uma importância acrescida nos hábitos de consumo de grande parte da população portuguesa” e assumindo “um forte fator de atração para todo o nosso turismo em grande parte do litoral português”.

No documento, o executivo lembra que o setor “adotou um conjunto de medidas de restrição da sua atividade no tempo de paralisação das embarcações e na redução das quantidades de captura, sejam diárias, sejam anuais”, com o objetivo de proteger aquele recurso, e sublinha que os pescadores portugueses “têm demonstrado, com clareza, que são os primeiros interessados em proteger a sardinha, sabendo e reconhecendo que é determinante a existência de ‘stocks’ de sardinha para a manutenção das empresas do setor”.

Porém, acrescenta a autarquia, as avaliações da investigação, promovidas através de cruzeiros científicos realizados pelo IPMA (Instituto Português do Mar e da Atmosfera), em dezembro de 2017 e em maio de 2018, “vieram confirmar a opinião dos pescadores em como existe um grande aumento na abundância de sardinha, nas águas portuguesas”.

Assim, a convicção do executivo é de que “a consciencialização da gestão deste importante recurso, aliada a uma boa estratégia comercial e ao bom senso político, deverão permitir uma maior tranquilidade ao setor e condições que permitam a sua sustentabilidade”, ainda que, como defendem na moção, a quota de captura possa aumentar já este ano e nos seguintes.

A 21 de maio, data do início da pesca da sardinha, a quota máxima diária de captura foi fixada em 166 cabazes [unidade de medida que se estima ter um peso médio de 22,5 quilos], o equivalente a 3.750 quilos de pescado. No início deste mês, a quota foi reduzida para 141 cabazes e na quarta-feira da última semana uma nova redução fixou a quantidade máxima de sardinha que cada barco pode descarregar em 126 cabazes por dia.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Jovens

É desta que fazemos valer a nossa geração?

Teresa Cunha Pinto

Esta geração vive com a barriga cheia de uma grande ilusão. De que é a geração mais informada, mais qualificada, mais viajada. É pura ilusão porque em nada se concretiza e materializa. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)