Dezenas de militares do Grupo de Intervenção de Prevenção e Socorro (GIPS) da GNR que estão a combater o fogo em Monchique, que deflagrou na passada sexta-feira, tiveram de dormir no chão de um pavilhão. A notícia é avançada pelo jornal Expresso, que apresenta imagens onde é possível ver vários militares a descansarem no chão, rodeados dos seus pertences.

A este jornal, a GNR assegurou que os militares da força da Guarda especializada no combate aos incêndios “descansaram” e que tinham “todas as condições necessárias possíveis”.

Os 159 militares do GIPS empenhados nos incêndios de Monchique descansaram em instalações da Guarda e dos bombeiros locais, com todas as condições necessárias e possíveis”, afirmou o o Comando-Geral da GNR.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

José Miguel, vice-presidente da Associação dos Profissionais da Guarda (APG), diz que o crescimento da unidade em causa, que duplicou os seus efetivos desde 2017, não foi acompanhado pelo crescimento “das condições mínimas” de funcionamento. “As imagens [do pavilhão de Monchique] só vêm mostrar o aumento das carências desta unidade da GNR; não podemos só mostrar as novas viaturas que chegam ao terreno”, afirma.