Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Foram entre 100 e 200 metros daquele troço da autoestrada nº10. Cem a duzentos metros, 90 metros acima do solo, na ponte de 1.182 metros que passa sobre uma zona urbana, onde há zonas comerciais, edifícios residenciais (menos) e áreas industriais no porto de Génova. De repente tudo se precipitou. Ouviram-se gritos “Oh Dio!, Oh Dio!”, carros e camiões precipitaram-se das alturas com montes de entulho até cá abaixo.

A ponte Morandi ficou partida ao meio, como a de Entre-os-Rios em 2001, com a diferença que por baixo não estava um rio (o porto ainda fica longe), mas sim terra firme e uma linha ferroviária, sem funcionar nesta altura devido às obras de melhoramento em curso na ponte. Obras que decorrem desde 2016, mas que ainda não estavam concluídas.

Temem-se várias dezenas de mortos, mas algumas pessoas estão a ser retiradas com vida.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR