Rádio Observador

Lexus

Ela tem medo de sair de casa. Mas tira estas fotos

Jacqui Kenny viaja, mas não é uma viajante qualquer. Sofre de agorafobia, pelo que explora o mundo a partir de casa - nada que a impeça de dirigir remotamente uma sessão fotográfica. Veja o resultado.

Revelado na última edição do Salão de Genebra, o Lexus UX está agora prestes a iniciar a sua carreira comercial na Europa, estando disponível para pré-encomenda já a partir do próximo mês. Razão pela qual a divisão da Europa da marca de luxo da Toyota decidiu avançar com uma sessão fotográfica à altura da irreverência do SUV, que pretende rivalizar com outras propostas premium já instaladas no mercado, como o Audi Q3 ou o BMW X2. Daí que a Lexus tenha optado por mostrar o modelo aos olhos de alguém especial: Jacqui Kenny, uma fotógrafa que tem a particularidade de ter medo de sair de casa. Só que ela estava na sua residência, em Londres, e o UX a uns milhares de quilómetros de distância, em Lanzarote e, para cúmulo, a fotógrafa-fenómeno nunca esteve fisicamente na mais charmosa ilha das Canárias. Imagine-se, então, como decorreu este trabalho…

Terá sido, muito provavelmente, a primeira sessão fotográfica do mundo dirigida remotamente. Algo só possível por a Lexus estar disposta a investir para colar o seu novo SUV à imagem de uma proposta que rompe com quaisquer limites. E rompe, pelo menos do ponto de vista da estética, apresentando-se como uma proposta vincadamente – aqui na acepção literal da palavra – arrojada.

Visando “atrair jovens clientes que procuram, não só o que é novo e excitante, mas também o que é relevante para seu estilo de vida”, a Lexus colocou então à disposição da The Agoraphobic Traveller – assim é conhecida Jacqui Kenny – um UX equipado com câmara de vídeo de 360°. Foi pelos olhos desta câmara que Jacqui, sem sair da segurança do lar, foi conduzida numa jornada digital para a bela ilha espanhola.

Viver com agorafobia torna as viagens para longe muito complicadas para mim. Ter a oportunidade de o fazer remotamente, explorar o mundo de uma outra maneira e descobrir coisas surpreendentes no processo é incrível”, confessou Jacqui.

É incrível, mas terá os seus limites, arriscamos nós. Isto porque, apesar de ter dirigido a sessão remotamente, apoiada por uma equipa de produção que lhe permitiu captar imagens a mais de 3.000 km de distância, o resultado final deste trabalho mostra o crossover compacto de luxo sempre… parado! E não deixa de ser curioso que um carro que a marca diz ter sido “pensado para explorador urbano moderno”, nas palavras da engenheira-chefe do UX, Chika Kako, se apresente só em imagens estáticas. Olhando para com o material divulgado (até agora) pela marca, nesta sessão não houve nada de fotografias dinâmicas (em movimento). O que não deixa de ser uma opção estranha de marketing para um SUV que a Lexus afirma ser “pautado pelo dinamismo”.

O UX estreia a plataforma GA-C, o que lhe permite reclamar um baixo centro de gravidade e um bom aproveitamento de espaço. É ligeiramente maior que os seus rivais, mas anuncia a melhor manobrabilidade do segmento, nomeadamente no que toca ao raio de viragem (5,2 metros). Em termos de motorizações, conta com o já conhecido 2.0 a gasolina de 170 cv (do Auris), acoplado a uma transmissão do tipo CVT, ou com um grupo motopropulsor híbrido (UX 250h) a oferecer no total 178 cv de potência e tracção integral.

Pesquisa de carros novos

Filtre por marca, modelo, preço, potência e muitas outras caraterísticas, para encontrar o seu carro novo perfeito.

Pesquisa de carros novosExperimentar agora

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: scarvalho@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)