Vincos, vincos e mais vincos. Ao primeiro olhar, é isso que salta à vista. O novo Lexus UX aposta vincadamente numa estética arrojada, para sobressair entre os seus rivais premium. Bastará?

Apresentado oficialmente no Salão de Genebra, a decorrer até 18 de Março, o SUV compacto estreia a plataforma GA-C, o que lhe permite reclamar um baixo centro de gravidade e um amplo aproveitamento de espaço, com a marca a apontar como exemplos disso a distância entre os bancos da frente e os de trás (870 mm) e uma bagageira com 791 mm de comprimento.

Mas estes não são os únicos números a reter. O rival do BMW X2, ou do Audi Q3, é um pouco maior do que a concorrência, fruto dos seus 4.495 mm de comprimento, 1.520 mm de altura e 1.840 mm de largura, sendo a distância entre eixos de 2.640 mm. Dimensões que, contudo, não o impedem de anunciar a melhor manobrabilidade do segmento, nomeadamente no que toca ao raio de viragem (5,2 metros).

Porém, por mais voltas que se dê, o “primo” do Toyota CH-R acaba sempre por conduzir a nossa atenção para o seu visual. O que pode ser bom ou… nem por isso, quando em causa está disputar um dos subsegmentos do mercado com maior potencial de vendas e onde já estão confortavelmente instaladas marcas como a BMW e a Audi.

A estética arrojada é o elemento mais distintivo do UX, o que não deixa de ser uma aposta algo arriscada da Lexus, que tem já bem presente o facto de a sua nova linguagem estilística estar a desagradar à sua clientela tradicional, conforme aqui lhe demos conta. Nada que impeça a Lexus de tentar conquistar novos clientes. Novos literalmente, já que o construtor de luxo da Toyota quer atrair os mais jovens.

No caso deste UX, fá-lo através de um produto que é impossível passar despercebido. A frente é dominada pela grelha da “discórdia”, enquanto na traseira se evidencia uma solução cada vez mais comum entre as propostas ditas premium: os farolins traseiros estão ligados por um filete de luz composto por 120 LED.

[jwplatform eq9Vcy1r]

No interior, os designers foram mais comedidos e não há tantas arestas, mas o UX diz-se preparado para dar luta aos adversários, tirando partido das artes marciais. Para deixar a concorrência KO, a Lexus aposta num habitáculo cujo design se inspira nas tradições japonesas, o que é particularmente evidente no revestimento em pele dos bancos, feito com base na mesma técnica de confecção (sashiko) que é utilizada para fazer os kimonos de judo e kendo.

Sob o capot surge o 2.0 a gasolina de 170 cv, que recentemente se estreou na nova geração do Toyota Auris, acoplado a uma transmissão do tipo CVT. Para além da versão UX 200, há ainda a híbrida UX 250h, cujo conjunto debita 178 cv e oferece tracção integral.

[jwplatform Awz1p1YQ]