O presidente da Câmara Municipal de Cascais considerou este sábado que o novo campus de Carcavelos da School of Business and Economics (SBE) é o “reflexo da audácia” da relação entre a Universidade Nova de Lisboa e a autarquia.

Carlos Carreiras falava na cerimónia de inauguração da Nova SBE em Carcavelos, um projeto que, segundo o presidente da Fundação Alfredo Sousa, Pedro Santa Clara, teve a ajuda financeira de 46 empresas (no valor de 40 milhões de euros) e de particulares (seis milhões de euros).

Ao intervir no evento, Carlos Carreiras afirmou ainda que a inauguração do novo campus de Carcavelos é um “dia transformador” para a autarquia de Cascais e para a Universidade Nova de Lisboa, sublinhando que a Nova SBE será uma “academia de saber de espírito singular”.

“Viva a Nova SBE, viva Carcavelos, viva Cascais, viva Portugal”, concluiu o presidente da Câmara de Cascais, pedindo que a sociedade civil continue a apoiar este projeto que promete transformar esta universidade em Carcavelos num “lugar único”.

O diretor da Nova SBE, Daniel Traça, prometeu que esta será uma “escola do futuro” e enalteceu as parcerias que tanto ajudaram a vencer as dificuldades e adversidades encontradas pelo caminho. Antes, o reitor da Universidade Nova de Lisboa, João Sàágua, considerou que a inauguração do novo ‘campus’ universitário em Carcavelos representa um “dia glorioso” para a instituição e em especial para a Nova SBE.

Entre os convidados na inauguração estiveram os ministros da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e do Ensino Superior, Manuel Heitor, o ex-Presidente da República Cavaco Silva, a líder do CDS-PP, Assunção Cristas, e o seu antecessor, Paulo Portas.

O reitor realçou ainda que o novo ‘campus’ da Nova é “uma casa para os estudantes”, que aposta na excelência do ensino e na internacionalização. O novo ‘campus’ da SBE, acrescentou, é “uma oportunidade única para todas as famílias portuguesas” que passam a ter um ensino de excelência e a internacionalização “ao pé de casa”, num projeto virado para o futuro, em parceria com a sociedade e com uma fundação.

Além disso, continuou, a Nova SBE representa o “espírito” da Universidade Nova de Lisboa, tendo o seu arranque contado com o apoio de muitas pessoas e empresas e da Câmara Municipal de Cascais, autarquia a quem deixou uma palavra de reconhecimento e gratidão.

João Sàágua falou igualmente do “espaço excecional e moderno” onde vai funcionar o novo ‘campus’, dizendo que o projeto junta “ambição, rigor e espírito empreendedor”.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que encerrou a sessão, chegou ao evento cerca das 19h10, numa altura em que decorria a intervenção do diretor da Nova SBE. Os ex-ministros Miguel Poiares Maduro (PSD), Luís Amado (PS), Pedro Mota Soares (CDS-PP), Maria de Belém Roseira (PS), o presidente da EDP António Mexia, a antiga ministra da Saúde e atual conselheira de Estado Leonor Beleza, o presidente e o vice-presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras e Miguel Pinto Luz, respetivamente, foram algumas das muitas figuras do mundo político, académico e económico que marcaram presença em Carcavelos.

Com 46 mil metros quadrados, a faculdade oferece vários espaços de convívio, quatro restaurantes, cafés, bares e ginásio. O edifício foi construído de raiz em frente à praia de Carcavelos e é o resultado de uma campanha de angariação de fundos iniciada em 2014.

Os privados doaram 42 milhões de euros, que permitiram financiar a construção da faculdade pública. A Nova SBE tem atualmente cerca de três mil estudantes, na maioria estrangeiros. A escola acolhe alunos de 74 nacionalidades, com destaque para alemães, italianos, ingleses, espanhóis, chineses, brasileiros, belgas, holandeses e austríacos.