Transportes

Lisboa vai ter regras para circulação e estacionamento das trotinetes elétricas

136

A Assembleia Municipal de Lisboa (AML) aprovou esta terça-feira uma recomendação do CDS-PP para a criação de regras e boas práticas para as trotinetes elétricas na cidade.

Há registo de apenas dois acidentes na cidade de Lisboa, derivados do uso das trotinetes elétricas da Lime

Getty Images

A Assembleia Municipal de Lisboa (AML) aprovou esta terça-feira uma recomendação do CDS-PP para a criação de regras e boas práticas para as trotinetes elétricas na cidade. A notícia foi avançada pelo jornal Público.

A recomendação feita ao município de Lisboa solicita a “criação de regras e boas práticas” e a clarificação das “matérias de maior preocupação, designadamente sobre circulação e estacionamento“. No documento, o CDS-PP pede que a Câmara de Lisboa intervenha, “através da Polícia Municipal, para ações de sensibilização e fiscalização sobre infrações e cumprimento das regras e legislação vigente“.

Segundo consta nessa recomendação, houve já diversos relatos sobre perturbações que as trotinetes elétricas têm vindo a causar na mobilidade dos peões, “em especial cidadãos com dificuldades de visão ou com limitações físicas”, devido ao estacionamento desordenado dos veículos pela cidade.

Neste sentido, o grupo municipal do CDS-PP apela à autarquia a implementação de “iniciativas de esclarecimento sobre os benefícios de utilização das trotinetes, bem como das responsabilidades e obrigações dos utilizadores“, de modo a evitar os perigos existentes na circulação e estacionamento dos veículos nos passeios.

Os centristas estão preocupados com o estacionamento de veículos no meio de passeios, obstruindo a passagem de peões, em particular dos invisuais ou com mobilidade reduzida, bem como os eventuais atropelamentos face à velocidade” a que as trotinetes circulam, destaca a mesma nota.

De acordo com o jornal, na sessão plenária desta terça-feira, o PAN fez três aditamentos à recomendação do CDS-PP, sendo que neles sugere que a autarquia publicite no seu site “os 90 locais identificados como hotspots [pontos de recolha] para as trotinetes com motor”, assim como as zonas “onde se desaconselha a utilização deste modo de transporte”. O partido quer também que sejam conhecidas “as condições de ocupação de espaço público estabelecidas” entre a câmara e a Lime, empresa fornecedora do serviço.

O MPT também tinha apresentado uma recomendação no mesmo sentido, que acabou por ser retirada pelo partido, que subscreveu o documento dos centristas. Além disso, foi também aprovada uma recomendação do PEV, que propôs a criação de uma carreira de bairro da Carris na zona envolvente da estação de metro de Arroios, e uma recomendação do PAN para que “se afetem mais meios à vigilância da natureza”.

Até ao momento, há registo de apenas dois acidentes na cidade de Lisboa, num contexto que revela a realização de mais de 120 mil viagens nas trotinetes da Lime.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)