Nazismo

Colecionador encontrou centenas de fotos de nazis vestidos de mulher e juntou-as num livro

186

Além de nazis, entre as centenas de fotografias, há soldados americanos e britânicos, fotografados nas duas guerras mundiais. Mas os mais frequentes eram mesmos os soldados nazis.

Um colecionador de fotografias de guerra alemão, Martin Dammann, descobriu centenas de imagens que mostram soldados nazis vestidos de mulher: com saias, vestidos, roupa interior e bijuteria. Alguns usam até maquilhagem. Em algumas fotos, os soldados aparecem abraçados uns aos outros.

Martin Dammann encontrava-se a fazer uma pesquisa sobre a vida dos soldados, quando deparou com centenas de fotografias deste género, compiladas agora num livro intitulado “Soldier Studies”, editado pela Hatje Catz, lançado este mês. Se as imagens não existissem, não acreditaria“, admitiu o colecionador ao Der Spiegel.

O livro intitulado “Soldier Studies”, editado pela Hatje Catz, foi lançado este mês (Foto: Hatie Catz)

Mas como explicar que estas cenas fossem toleráveis num regime que matou milhares de homossexuais, reprimia a homossexualidade e tentou, até, procurar uma cura para ela? Segundo Dammann, as fotografias podem ter sido tiradas no Carnaval. “Não acho que haja só uma explicação, pois não há uma motivação única para os casos retratados nem uma única orientação sexual”, disse ao jornal brasileiro Folha de São Paulo.

Além de nazis, entre as centenas de fotografias, há soldados americanos e britânicos, fotografados nas duas guerras mundiais. Mas os mais frequentes, de acordo com Dammann, eram mesmos os soldados nazis. “É preciso fazer uma distinção entre a ideologia nazi, que era homofóbica, e a lógica de líderes militares, que precisavam do maior número possível de soldados na melhor forma física e mental possível”, explicou Dammann ao mesmo jornal.

[Veja na fotogaleria acima algumas das imagens que constam no livro]

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
História

O Cardeal Cerejeira e o nazismo /premium

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
502

Faça-se a justiça de dizer a verdade: a Igreja Católica sempre declarou a absoluta incompatibilidade entre a fé cristã e a ideologia nacional-socialista.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)