Rádio Observador

Alterações Climáticas

Cimeira do Clima. Guterres diz que “estamos em apuros” e que “ainda não estamos a fazer o suficiente” para prevenir alterações climáticas

276

Guterres fez um discurso em tom dramático na cerimónia de abertura da Cimeira do Clima que decorre em Katowice, Polónia. "É difícil exagerar a urgência" de atuarmos, disse o secretário-geral da ONU.

"Estamos em grandes apuros", disse o secretário-geral da ONU na cerimónia de abertura da Cimeira do Clima, a COP24

AFP/Getty Images

“Este é o desafio sobre o qual os líderes desta geração serão julgados.” O desafio são as alterações climáticas, o autor da declaração é António Guterres. O secretário-geral das Nações Unidas fez esta segunda-feira um discurso em tom dramático na cerimónia de abertura da Cimeira do Clima, a COP24, em Katowice, Polónia. “Estamos em grandes apuros”, disse, dirigindo-se aos vários chefes de Estado e representantes de governos de todo o mundo sentados na plateia. “Para muitas populações, [as alterações climáticas] já são uma questão de vida ou de morte”, sublinhou o antigo primeiro-ministro português.

Para António Guterres, que diz ser “difícil exagerar a urgência” de atuar no imediato, os governos ainda não estão a fazer o suficiente para combater aquele que disse ser “o problema mais importante com que nos deparamos” neste momento.

“Mesmo testemunhando impactos climáticos devastadores que causam estragos em todo o mundo, ainda não estamos a fazer o suficiente, ainda não avançámos o suficiente para prevenir uma disrupção irreversível e catastrófica do clima”, disse o secretário-geral da ONU frente a representantes de quase 200 países reunidos na 24.ª Cimeira da ONU para o Clima (COP24).

“Resumindo, precisamos de uma transformação completa na economia global energética, assim como na forma como gerimos os recursos territoriais e florestais”, sublinhou.

O secretário-geral da ONU criticou ainda os países, principalmente os principais emissores de gases de estufa, de estarem a fazer muito pouco, e muito devagar, para evitar as alterações climáticas. E exortou todos a cortar as suas emissões em 45% (em 2030 quando comparado com os valores de 2010) e a chegar às emissões zero em 2050, a única hipótese de manter o aumento das temperaturas abaixo de 1,5 ºC, segundo o mais recente relatório de especialistas.

Para alcançar estes objetivos, Guterres defende que os governos devem abraçar novas oportunidades, em vez de continuarem agarrados ao uso de combustíveis fósseis, como o carvão, responsável por parte significativa da emissão de gases de efeito de estufa.

Na manhã de segunda-feira, o Banco Mundial anunciou que vai mobilizar 200 mil milhões de dólares (176,6 mil milhões de euros) de 2021 a 2025 para ajudar os países em desenvolvimento a lidarem com as alterações climáticas. O financiamento quinquenal representa o dobro do investimento feito de 2017 a 2025.  O anúncio “envia um sinal importante para a comunidade internacional fazer o mesmo”, apontou o Banco Mundial em comunicado.

A COP24 decorre até dia 14 de dezembro em Katovice. As novas tecnologias favoráveis ao clima, a população como líder da mudança e o papel da floresta são os temas centrais que a Polónia quer ver discutidos na reunião mundial do clima que começou no domingo, mas cuja cerimónia oficial de abertura aconteceu esta segunda-feira. Acima de tudo, o encontro servirá para encontrar formas de aplicar o Acordo de Paris, celebrado em 2015.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: akotowicz@observador.pt
Alterações Climáticas

A lei do EROI

Marco Robalo

Ouvimos muito falar na esperança em tecnologias, mas este debate foge da realidade e concentra-se em ideias de ficção científica, pois ninguém sabe como resolver as necessidades de consumo instaladas.

Universidade de Coimbra

Fraca carne

Henrique Pereira dos Santos
6.906

Substituir carne por peixe (ou por vegetais), sem saber de que sistemas de produção (e de que ciência) estamos a falar é completamente vazio do ponto de vista da sustentabilidade ambiental.

Turismo

A turistificação da economia algarvia

António Covas

Não é tarefa fácil falar de diversificação da base económica regional quando a atividade turística é aquela que remunera mais rapidamente as pequenas poupanças e os pequenos investimentos realizados.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)