Greve

Funcionários judiciais iniciam esta segunda-feira nova greve até ao fim do mês

O novo período de greve vai decorrer diariamente em diferentes tribunais e outros organismos do sistema judiciário de todo o país. O Sindicato reivindica a renegociação do estatuto profissional.

A paralisação é convocada pelo Sindicato dos Funcionários Judiciais e acontece depois de um conjunto de greves parciais de 2h diárias que decorreu entre 5 de novembro e 31 de dezembro

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

Os funcionários judiciais iniciam esta segunda-feira um novo período de greve até ao final do mês de janeiro, que vai decorrer diariamente em diferentes tribunais e outros organismos do sistema judiciário de todo o país. A paralisação é convocada pelo Sindicato dos Funcionários Judiciais (SFJ) e acontece depois de um conjunto de greves parciais de duas horas diárias que decorreu entre 5 de novembro e 31 de dezembro.

Em causa está a renegociação do estatuto profissional, tabela remuneratória, matérias relacionadas com o ingresso na carreira, promoções e regime de aposentação.

O presidente do SFJ, Fernando Jorge, disse à agência Lusa, que a greve vai decorrer até 31 de janeiro em todo o país, realizando-se por áreas processuais e nos organismos do Ministério da Justiça onde trabalham funcionários judiciais.

Fernando Jorge adiantou que o sindicato adequou esta forma de luta à nova realidade depois de o Ministério da Justiça ter introduzido alterações à proposta inicial do estatuto e se ter comprometido em negociar alguns dos pontos, encontrando-se neste momento o processo numa fase de negociação. O sindicalista adiantou que o período de greve será suspenso caso o Ministério de Justiça assuma por escrito os compromissos.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)