Levantar a saia a alguém passou a ser considerado uma ofensa sexual punível até dois anos de prisão em Inglaterra e no País de Gales. Nos casos mais graves, o nome dos infratores poderá ser incluído na lista de agressores sexuais. A legislação foi aprovada esta terça-feira na Câmara dos Lordes, a câmara alta do parlamento britânico, noticia a revista Haper’s Bazaar. 

Após um intenso debate, o projeto-lei de Gina Martin, ativista britânica, foi finalmente aprovado. Agora, falta apenas a assinatura da rainha Isabel II. Gina Martin iniciou uma petição online depois de um homem ter tirado fotografias por debaixo da sua saia, durante um concerto em 2017. Na altura, quis apresentar queixa do homem, mas a denúncia foi recusada pelas autoridades britânicas. Como justificação foi-lhe dito que a queixa era ilegal porque ela tinha roupa interior. Indignada, decidiu tornar a situação pública. A petição foi assinada por mais de 50 mil pessoas e chegou ao parlamento através da deputada do Partido Liberal Democrata Wera Hobhouse.

Aprovada a legislação,  Gina Martin recorreu ao Twitter para agradecer a todos os que trabalharam com ela na petição e expressou contentamento com o resultado, apesar do cansaço.  “Depois de ter sido vítima e de ter sido reconhecida a lacuna da lei, eu, em parceria com Wera Hobhouse, da Gibson Dunn [uma empresa jurídica], começámos um trabalho exaustivo emocional durante 18 meses”, escreve Gina Martin.

Sempre pensei que os políticos fossem impenetráveis, mas, com a ajuda certa e força de vontade, tu consegues. Nós conseguimos.”, celebrou a ativista.

Apesar de, em alguns casos, o ato de levantar a saia de alguém sem consentimento poder constituir um crime de ofensa sexual, nem todas as situações estavam legalmente cobertas. Na Escócia, por exemplo, a ofensa já é crime desde 2010.