Bilhetes do Tesouro

Portugal emite 1.750 milhões de euros em Bilhetes de Tesouro

Portugal regressa esta quarta-feira ao mercado para emitir os primeiros leilões deste ano de Bilhetes de Tesouro a seis e a 12 meses. O montante indicativo global é até 1.750 milhões de euros.

Os Bilhetes de Tesouro têm maturidades em julho de 2019 (seis meses) e em janeiro de 2020 (12 meses)

António Cotrim/LUSA

Portugal regressa esta quarta-feira ao mercado para emitir até 1.750 milhões de euros nos primeiros leilões deste ano de Bilhetes de Tesouro (BT) a seis e a 12 meses.

A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) informou que os BT a serem leiloados esta quarta-feira têm maturidades em julho de 2019 (seis meses) e em janeiro de 2020 (12 meses) e que o montante indicativo global é de entre 1.500 milhões e 1.750 milhões de euros.

Nos últimos leilões comparáveis, em 21 de novembro, Portugal colocou 1.000 milhões de euros, montante inferior ao máximo anunciado, em BT a seis e 12 meses, mas com taxas de juro negativas e inferiores aos anteriores leilões comparáveis.

Depois de terem atingido o mínimo de sempre em 17 de janeiro de 2017, as taxas de juro médias dos BT a seis e a 12 meses tinham subido até aos anteriores leilões comparáveis de setembro.

Em novembro, a 12 meses foram colocados 650 milhões de euros em BT à taxa de juro média de -0,327%, de novo negativa e inferior à registada em 19 de setembro, quando foram colocados 1.000 milhões de euros a -0,270%.

A seis meses foram colocados esta quarta-feira a 350 milhões de euros em BT à taxa média de -0,369%, mais negativa do que a verificada em 19 de setembro, quando foram colocados 400 milhões de euros a -0,317%.

A procura atingiu 1.717 milhões de euros para os BT a 12 meses, 2,64 vezes superior ao montante colocado, e 920 milhões de euros para os BT a seis meses, 2,63 vezes o montante colocado.

Em 17 de janeiro de 2017, as taxas de juro médias dos BT a seis e 12 meses caíram até aos mínimos de -0,425% e -0,398%, respetivamente.

As necessidades de financiamento líquidas do Estado para este ano deverão situar-se em cerca de 8,6 mil milhões de euros.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
União Europeia

Mercados abertos num mundo em convulsão

Cecilia Malmström

Se alguma coisa aprendemos com a última década é que o comércio livre já não é um dado adquirido, pelo que temos de desenvolver mais esforços para manter os mercados abertos para as nossas empresas.

Demografia

Envelhecimento e crescimento económico /premium

Manuel Villaverde Cabral

Nada é mais importante para países como Portugal do que o imparável envelhecimento da população e as suas consequências a todos os níveis da sociedade, da saúde ao potencial de crescimento económico.

Crónica

Amorfo da mãe /premium

José Diogo Quintela

O Governo deve também permitir que, no dia seguinte ao trauma que é abandonar a criança no cárcere escolar, o progenitor vá trabalhar acompanhado pelo seu próprio progenitor. Caso precise de colinho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)