Universidades

Presidente da JSD diz que alojamento é “maior entrave” à entrada na universidade

793

Margarida Balseiro Lopes considera que "não são as propinas", mas sim os problemas no alojamento que representam o "maior entrave" no acesso às universidades.

NUNO VEIGA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A presidente da Juventude Social-Democrata (JSD) considerou este domingo que a “maior barreira” dos jovens no acesso à universidade “não são as propinas”, é o alojamento e os custos do mesmo, em concreto nos grandes centros urbanos.

“A maior barreira à entrada de jovens no ensino superior não são as propinas, é o alojamento estudantil”, disse Margarida Balseiro Lopes, falando na ilha de São Miguel no encerramento do XX congresso regional da JSD/Açores.

A líder dos jovens sociais-democratas enumerou depois várias propostas apresentadas a nível nacional pela JSD neste campo, nomeadamente o “reconstruir e requalificar de residências estudantis em todo o país” ou o garantir de “incentivos fiscais” a senhorios que queiram arrendar as suas habitações a jovens estudantes.

Depois, Margarida Balseiro Lopes abordou as eleições europeias de maio para advertir que “a apatia e a inércia” são elementos que criam condições “para que os populismos e extremismos cresçam”.

“Temos o papel de mostrar aos jovens que compreendemos e sabemos as dificuldades que eles têm no seu dia a dia”, sublinhou, dirigindo-se a algumas de dezenas de jovens sociais-democratas açorianos.

O líder da JSD/Açores, por seu turno, diz que a região “precisa de uma mudança” e de “devolver esperança aos jovens”, nomeadamente através da criação de emprego.

“A taxa de desemprego jovem na região é de 32%, ao passo que a nível nacional está abaixo de 20%”, sinalizou, acrescentando que “a criação de emprego é que tem de ser a verdadeira política de juventude”, disse Flávio Soares.

“É ao criar emprego que se podem fixar os jovens nas ilhas onde nasceram”, prosseguiu o dirigente da JSD.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Ensino Superior

Bolonha, 20 anos depois

José Ferreira Gomes

Temos um falso sistema de dois ciclos de licenciatura e mestrado porque se está a generalizar a prática de admitir a mestrado estudantes que não concluíram a licenciatura. Estranho? Não em Portugal!

Liberdades

Também tu, Universidade de Harvard?

Luís Ribeiro
190

Viver na espuma dos acontecimentos, sem aprofundar as consequências, leva a isto: cai um preconceito, mas é logo substituído por outro. O preconceito racial é substituído pelo preconceito do #MeToo.

Exames Nacionais

Reflexos na pauta /premium

Teresa Espassandim

Vamos lá lutar é por aquela décima no exame que a média agradece e os rankings rejubilam! Mas não esquecer o teatro, ERASMUS, o associativismo, o activismo, o desporto, o voluntariado, as viagens…

Polémica

Caso encerrado (ainda "O regresso do 'eduquês'")

José Pacheco

O senhor Torgal crê – uma crença não se discute – que as escolas são prédios, dentro dos quais professores do século XX tentam ensinar alunos do século XXI, seguindo práticas pedagógicas do século XIX

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)