O maior dos SUV da marca espanhola, o Tarraco, assume-se como o novo topo de gama da Seat, pois não só eleva a um novo patamar a qualidade de construção e o nível de equipamento, como lhe cabe estrear a nova imagem de marca composta por uma grelha mais vertical e uns faróis mais esguios. Muitos dos seus utilizadores vão sentir-se cativados pelo seu longo habitáculo, onde os cinco lugares tradicionais podem ser reforçados por mais dois extra, que se podem fazer aparecer, como que por milagre na bagageira, para no instante seguinte se fazerem desaparecer no fundo da mala, quando deixam de ser necessários.

Apesar do refinamento do veículo, a Seat está apostada em recordar que o Tarraco é um SUV à altura de incursões por fora de estrada, sobretudo aquelas versões dotadas com o sistema de tracção integral 4Drive, que distribui a potência pelas quatro rodas, colocando até 50% da força do motor em cada um dos eixos, graças a uma embraiagem Haldex que distribui a potência. O que funciona ainda melhor porque a caixa de velocidades é a automática DSG de sete velocidades, que coloca toda a responsabilidade de fazer avançar o SUV nas mãos da electrónica.

6 fotos

Para provar que com o Tarraco ninguém brinca, a Seat organizou uma incursão por Marrocos, nas imediações de Errachidia, no centro do país, onde era fácil encontrar as situações ideais para torturar o modelo. Além das pistas pedregosas, que medem a capacidade das suspensões suportarem pancadas sem partirem ou verem os amortecedores perder óleo, até à fofa areia das dunas que também existem na região, o Tarraco passou todas as provas com distinção.

O maior dos SUV da Seat está disponível com a motorização 1.5 EcoTSI de 150 cv, a gasolina, e 2.0 TDI de 150 cv, a gasóleo, ambas com caixa manual de seis velocidades e tracção à frente. As versões equipadas com o 4Drive e caixa de dupla embraiagem DSG-7 recorrem ao motor 2.0 TDI, com 150 cv ou 190 cv, para a opção a gasolina estar a cargo do 2.0 TSI de 190 cv.