O Stan é o maior. Consegue fazer sozinho uma tarefa que por vezes se transforma numa verdadeira dor de cabeça para muitos condutores. Trata-se de, num parque de estacionamento, encontrar um lugar livre onde parquear, sem complicações e sem arriscar discussões mais acaloradas com outros condutores mais competitivos. A sua especialidade são os grandes parques de estacionamento, como aqueles junto aos grandes aeroportos, onde milhares de veículos entram e saem a toda a hora e onde, por vezes, encontrar um lugar livre exige dezenas de minutos a andar às voltas.

Chamá-lo “empilhador inteligente” é talvez redutor, pois o Stan é muito mais do que isso. É um facto que consegue meter-se por baixo de qualquer veículo, elevá-lo e deslocá-lo sem problemas. Mas a verdadeira vantagem do Stan é saber onde está cada um dos lugares livres, decidir qual o caminho mais próximo e aí “estacionar” cada um dos veículos que chegam a estes parques de estacionamentos inteligentes com uma espécie de serviço de Vallet, a que não é necessário dar gorjeta.

Este empilhador autónomo, gerido por inteligência artificial, já está ao serviço dos condutores, pelo menos dos que querem estacionar nos aeroportos franceses de Charles De Gaulle, em Paris, e de Lyon. A estes vai juntar ainda este ano o aeroporto de Gatwick, nos arredores de Londres. Em Inglaterra, o Stan vai gerir 270 lugares num parque onde os carros entram, mas os condutores não. O veículo é deixado à porta da zona de estacionamento, numa área denominada Box, com o condutor a ter apenas de dar a ler ao sistema os dados do seu voo e deslocar-se para a porta de embarque. A partir daí quem manda é o Stan, que começa por medir o comprimento e a largura do veículo e, de seguida, desloca-o para o que considera ser o espaço livre mais próximo ideal para o automóvel em questão.

Apesar do nome, o Stan é francês, ou pelo menos produzido por uma empresa francesa, a Stanley Robotics. É capaz de lidar com qualquer tipo de veículo, desde que tenha até 6 metros de comprimento e 3 toneladas de peso. Veja aqui como o Stan lida com o problema sem interferência de qualquer ser humano. E com uma vantagem, pois como ele sabe exactamente quando é que esse mesmo veículo vai sair, consegue arrumá-lo atrás ou à frente de outros, conseguindo “enfiar” um maior número de veículos na mesma área de estacionamento.