É o primeiro serviço comercial de deteção de incêndios com base em inteligência artificial, é português e foi distinguido pela multinacional tecnológica IBM na competição mundial Watson Build. O Bee2FireDetection, da Compta, venceu o concurso global dedicado à utilização da Inteligência Artificial da IBM. A decisão foi anunciada depois de uma final em São Francisco, nos Estados Unidos da América, a 10 e 11 de fevereiro.

A Compta, através da Compta Emerging Business, foi a única empresa portuguesa a participar e derrotou as 236 rivais europeias com as quais competia nessa primeira fase. A fase final estava dividida por áreas geográficas, com um representante da Asia-Pacífico, China, Japão, América Latina, Médio Oriente-África, América do Norte e Europa (neste caso, o programa da Compta). Cada empresa a concurso apresentava uma solução distinta baseada na inteligência artificial, trabalhando questões desde a medicina à organização urbana, passando pela agricultura orgânica.

Para o presidente da Compta, Jorge Delgado, a vitória representa a capacidade de trabalho da empresa: “Não vencemos pela capacidade de investimento, que empresas noutros mercados têm noutra escala, foi pelo conhecimento, pela qualidade e pelo profissionalismo da equipa”. Em declarações ao Observador, reforçou a importância do prémio para o estabelecimento da empresa no palco internacional: “Questionamo-nos se aquilo que fazemos está ao nível do que se faz lá fora e, através dos critérios rigorosíssimos da IBM, mostrámos que podemos destacar-nos internacionalmente“.

O Bee2FireDetection, distinguido pela IBM, é um serviço baseado num algoritmo desenvolvido pela Compta, que alia imagens aéreas de alta definição a dados metereológicos e de espectrometria para prever potenciais fogos, detetar focos de incêndio e sugerir estratégias de combate imediatas. O sistema tira partido da inteligência artificial da IBM para acelerar o processo. O sistema pode ser aplicado tanto a fogos florestais como a zonas industriais ou cidades.

Distinções internacionais abrem caminho para novos mercados

O líder da Compta vê possíveis aplicações do software no combate aos fogos em território português, mas sublinha que os incêndios são “um problema mundial” que a empresa tem a “honra” de poder ajudar a combater.

“Espero que este prémio faça com que olhem para nós com outra atenção”, afirma Jorge Delgado, reforçando a importância do ADN português da conquista: “É tecnologia portuguesa, desenvolvida por portugueses e com sucesso internacional”, continua, “Portugal tem um ecossistema muito interessante para este desenvolvimento porque tem muitos especialistas em várias áreas. Funciona como laboratório para que depois se possa lançar os produtos noutros mercados”.

A Compta é a empresa portuguesa mais antiga na área da informática — surgiu em 1972 — tendo crescido como agregador de soluções com desenvolvimento externo, particularmente na área da comunicação, e dedicando-se, desde 2012, à produção de serviços próprios. No portfólio tem sistemas de gestão de recolha de resíduos, o Bee2WAste, de otimização de recursos energéticos, o Bee2Energy, ou de gestão de terminais de contentores, o Cargo eBusiness.

“É uma aposta estratégica acompanhar a evolução tecnológica”, esclarece Jorge Delgado, afirmando que o desenvolvimento “é sinónimo do que a Compta tem conseguido: transformar-se e tornar a inovação parte do espírito da empresa”. Para passar a desenvolver produtos próprios, a Compta procurou contratar profissionais fora das áreas tecnológicas, para reunir os conhecimentos diversos e conseguir “levar o conhecimento português ao mercado internacional”.