Incêndios

Portugueses ganham concurso mundial da IBM com inteligência artificial para detetar incêndios

7.707

Os portugueses da Compta venceram a final mundial do IBM Watson Build. O serviço Bee2FireDetection foi desenvolvido para detetar fogos florestais com o apoio de inteligência artificial.

A empresa tecnológica IBM desenvolve um concurso global para testar que melhor aproveita a plataforma de Inteligência Artificial Watson

Compta

É o primeiro serviço comercial de deteção de incêndios com base em inteligência artificial, é português e foi distinguido pela multinacional tecnológica IBM na competição mundial Watson Build. O Bee2FireDetection, da Compta, venceu o concurso global dedicado à utilização da Inteligência Artificial da IBM. A decisão foi anunciada depois de uma final em São Francisco, nos Estados Unidos da América, a 10 e 11 de fevereiro.

A Compta, através da Compta Emerging Business, foi a única empresa portuguesa a participar e derrotou as 236 rivais europeias com as quais competia nessa primeira fase. A fase final estava dividida por áreas geográficas, com um representante da Asia-Pacífico, China, Japão, América Latina, Médio Oriente-África, América do Norte e Europa (neste caso, o programa da Compta). Cada empresa a concurso apresentava uma solução distinta baseada na inteligência artificial, trabalhando questões desde a medicina à organização urbana, passando pela agricultura orgânica.

Para o presidente da Compta, Jorge Delgado, a vitória representa a capacidade de trabalho da empresa: “Não vencemos pela capacidade de investimento, que empresas noutros mercados têm noutra escala, foi pelo conhecimento, pela qualidade e pelo profissionalismo da equipa”. Em declarações ao Observador, reforçou a importância do prémio para o estabelecimento da empresa no palco internacional: “Questionamo-nos se aquilo que fazemos está ao nível do que se faz lá fora e, através dos critérios rigorosíssimos da IBM, mostrámos que podemos destacar-nos internacionalmente“.

O Bee2FireDetection, distinguido pela IBM, é um serviço baseado num algoritmo desenvolvido pela Compta, que alia imagens aéreas de alta definição a dados metereológicos e de espectrometria para prever potenciais fogos, detetar focos de incêndio e sugerir estratégias de combate imediatas. O sistema tira partido da inteligência artificial da IBM para acelerar o processo. O sistema pode ser aplicado tanto a fogos florestais como a zonas industriais ou cidades.

Distinções internacionais abrem caminho para novos mercados

O líder da Compta vê possíveis aplicações do software no combate aos fogos em território português, mas sublinha que os incêndios são “um problema mundial” que a empresa tem a “honra” de poder ajudar a combater.

Espero que este prémio faça com que olhem para nós com outra atenção”, afirma Jorge Delgado, reforçando a importância do ADN português da conquista: “É tecnologia portuguesa, desenvolvida por portugueses e com sucesso internacional”, continua, “Portugal tem um ecossistema muito interessante para este desenvolvimento porque tem muitos especialistas em várias áreas. Funciona como laboratório para que depois se possa lançar os produtos noutros mercados”.

A Compta é a empresa portuguesa mais antiga na área da informática — surgiu em 1972 — tendo crescido como agregador de soluções com desenvolvimento externo, particularmente na área da comunicação, e dedicando-se, desde 2012, à produção de serviços próprios. No portfólio tem sistemas de gestão de recolha de resíduos, o Bee2WAste, de otimização de recursos energéticos, o Bee2Energy, ou de gestão de terminais de contentores, o Cargo eBusiness.

“É uma aposta estratégica acompanhar a evolução tecnológica”, esclarece Jorge Delgado, afirmando que o desenvolvimento “é sinónimo do que a Compta tem conseguido: transformar-se e tornar a inovação parte do espírito da empresa”. Para passar a desenvolver produtos próprios, a Compta procurou contratar profissionais fora das áreas tecnológicas, para reunir os conhecimentos diversos e conseguir “levar o conhecimento português ao mercado internacional”.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Inovação

Dados, o novo ouro dos tolos

Miguel de Castro Neto
121

Os dados em si não possuem valor, o valor decorre do seu uso ou, mais concretamente, quando através do seu processamento somos capazes de criar informação que suporta a tomada de decisão.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)