Prisão

Presos recebem contrabando por drones

958

Veículos voadores controlados à distância levaram encomendas ilegais para a prisão de Vale dos Judeus. Guardas garantem que não tem formação nem condições para impedir esta forma de contrabando.

Drone em voo, a ser controlado por um operador à distância

Getty Images

Foram detetados drones a transportar contrabando a sobrevoar a prisão de Vale de Judeus. Os aparelhos voadores controlados à distância, avança a SIC, terão largado bens ilegais na cadeia (como baterias, telemóveis ou drogas) para que fossem recolhidos pelos presos que tinham feito a encomenda.

O presidente do Sindicato Nacional dos Guardas Prisionais, Jorge Alves, em entrevista à televisão, admite que os drones permitem aos reclusos “perceber e controlar os movimentos dos guardas” ao minuto, de forma a melhor esconder o contrabando e facilitar a entrada e saída do aparelho sem ser detetado, chegando a evitar as câmaras de vigilância da prisão.

No caso do Estabelecimento Prisional de Vale de Judeus, os responsáveis não terão conseguido identificar os bens introduzidos na prisão. Ainda assim, os reclusos envolvidos no contrabando foram identificados e sancionados, o que, para Jorge Alves, mostra o hábito de se “reagir aos fenómenos e não de os prevenir”.

O uso de drones alia-se ao arremesso de encomendas sobre as vedações das cadeias e o contrabando intermediado por funcionários das próprias prisões. Objetos como telemóveis é introduzido em esponjas de lavar a loiça, escondido na roupa ou em bens alimentares, como queijo, bolos ou embalagens de pão de forma. Os métodos serão tão eficazes que, de acordo com a notícia do canal de televisão, chegará a haver reclusos com múltiplos telemóveis dentro da prisão. Caso sejam apanhados, os presos podem ser alvo de um processo disciplinar que limita, por exemplo, o seu acesso ao pátio do estabelecimento prisional.

Os guardas prisionais, citados pela SIC, garantem não ter formação nem recursos para travar a entrada ilegal de bens por esta forma. “Não há procedimento claro. Pelo menos não temos conhecimento de que a Direção Geral [dos Serviços Prisionais] tenha emitido instruções precisas para os estabelecimentos prisionais que têm condições para detetar um drone”, afirma o dirigente sindical. Sublinha ainda que é necessário as cadeias terem “torres e guardas nas torres” para que se possa “abater o drone”. As quatro torres de Vale de Judes foram demolidas por falta de condições, dependendo de câmaras de segurança, o que dificultará a deteção do contrabando.

Recentemente, na prisão de Paços de Ferreira, a festa de aniversário de um recluso foi divulgada nas redes sociais, após ser captada pelos próprios presos nos telemóveis contrabandeados. A diretora do estabelecimento prisional, Maria Fernanda Monteiro Barbosa, demitiu-se após o caso se tornar público.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Civilização

A evidência é desprezada?

António Cruz Gomes

Ainda que nascidos transitórios – para viver no mundo, com o mundo e pelo mundo – fomos indelevelmente marcados por uma aspiração transcendental.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)