Os serviços prisionais apreenderam esta terça-feira uma série de produtos ilegais da cadeia de Paços de Ferreira, incluindo 18 telemóveis, 6 seringas, uma arma branca de fabrico artesanal e um recipiente com fruta fermentada. Esta foi a segunda busca feita na prisão depois de um vídeo transmitido em direto no Facebook de uma festa de aniversário de um traficante de droga ter causado polémica, levando à demissão da diretora do estabelecimento prisional.

De acordo com um comunicado da Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP), as buscas decorreram entre segunda e terça-feira e foi “inserida no trabalho de prevenção e combate à entrada e circulação de produtos e bens ilícitos em contexto prisional”.

Nas buscas participaram “cerca de cinquenta elementos do corpo da guarda prisional do Estabelecimento Prisional de Paços de Ferreira, dos dois esquadrões do Grupo de Intervenção e Segurança Prisional (GISP) e diversos binómios dos dois grupos cinotécnicos”.

Nas celas dos reclusos de Paços de Ferreira foram encontrados ainda “2 gramas de uma substância que se presume ser estupefaciente” e “alguns produtos alimentares cuja posse não é permitida nas celas, bem como de alguns equipamentos elétricos autorizados (como televisões e play station) mas que apresentavam quebra dos selos de segurança”.

“Esta ação decorreu sem que se tivesse verificado qualquer tipo de incidentes e os reclusos em cuja posse foram apanhados os objetos e bens ilícitos serão objeto do procedimento disciplinar e/ou criminal previstos na Lei”, lê-se na nota divulgada pelos serviços prisionais.

As preocupações à volta do estabelecimento prisional de Paços de Ferreira acentuou-se quando, há duas semanas, um grupo de reclusos organizou uma festa de anos a um traficante de droga, tendo conseguido publicar vídeos da festa no Facebook.

Os reclusos montaram mesas nos corredores da prisão e conseguiram escapar ao controlo dos guardas prisionais — que, na altura, eram apenas quatro para toda a ala.

A polémica levou à abertura de um inquérito por parte dos serviços prisionais e, por fim, à demissão da diretora da prisão, Maria Fernanda Monteiro Barbosa. A responsável apresentou o pedido “na sequência dos acontecimentos dos últimos dias, verificados no Estabelecimento Prisional de Paços de Ferreira e numa manifestação de dignidade, de respeito pelos Serviços e de defesa do interesse público”.

Na sequência daquela festa foram feitas buscas ao estabelecimento prisional, que resultaram na apreensão de 79 telemóveis, droga, tabaco, um passaporte e até um alambique.