Adolfo Mesquita Nunes já não é vice-presidente do CDS. A decisão foi tomada depois de o ex-Secretário de Estado do Turismo ter aceitado o convite para ser administrador não-executivo da Galp. O centrista vai manter-se como vereador eleito pelo CDS na Câmara Municipal da Covilhã e continuará a coordenar o grupo Portugal com Futuro, que está a preparar o programa de governo que o partido vai apresentar nas legislativas deste ano.

Adolfo Mesquita Nunes entra para a administração da Galp

A notícia foi avançada pelo Expresso, que adianta que a formalização da demissão foi feita através de uma carta enviada a Assunção Cristas no passado fim-de-semana. Segundo escreve na missiva, Mesquita Nunes diz que o novo posto de trabalho vai retirar-lhe tempo e disponibilidade para desempenhar o cargo de vice-presidente. “É uma atitude que reflete a forma como sempre estive na política”, explica.

A decisão terá sido tomada depois de uma conversa com a líder do CDS, que diz ao semanário que lamenta, mas compreende a decisão. “É uma perda, no sentido em que o Adolfo é ótimo e deixa de ser vice-presidente, mas seria mais preocupante se ele não pudesse preparar o programa eleitoral, que é o trabalho mais relevante que está a fazer do ponto de vista partidário”, considera Assunção Cristas.

Desde que deixou o Governo que Adolfo Mesquita Nunes tem afirmado que a sua prioridade passa pela aposta na carreira profissional e não pela atividade política.