Rádio Observador

Benfica

Benfica recebido em euforia na Luz. Lage pede calma, equilíbrio e… nada de amolgadelas no autocarro

147

Bruno Lage rejeitou festas antecipadas depois da vitória do Benfica em Braga e respondeu com humor quando foi questionado sobre a mensagem para os adeptos após superar o obstáculo mais difícil.

Adeptos benfiquistas já tinham estado na Luz este sábado à tarde, antes da partida do autocarro para o estágio em Gaia

SARA MATOS

Da bancada à tribuna, passando pela forma como o terceiro golo foi celebrado pelos suplentes, a vitória do Benfica em Braga foi um passo entendido por todos como quase decisivo para a conquista do Campeonato – assim se justifica, por exemplo, a corrida de cerca de 100 metros de Jonas e Taarabt quando estavam na zona de aquecimento para irem comemorar o terceiro golo de Rúben Dias ou os festejos mais efusivos do que é normal de Luís Filipe Vieira ao lado do homólogo António Salvador. No entanto, se há coisa que Bruno Lage nem quer ouvir falar são festas antecipadas… com algum humor à mistura.

“Vejam o que aconteceu com o Belenenses e o que sucedeu no Rio Ave-FC Porto. O que temos vindo a fazer é uma caminhada muito sólida, de final em final. Agora no sábado o Portimonense é mais uma final”, começou por referir na zona de entrevistas rápidas da Sport TV, depois de destacar a segunda parte como a chave para os encarnados darem a volta ao resultado.

“O que posso dizer aos adeptos depois desta vitória? Duas coisas: uma, para manterem a calma e o equilíbrio; a outra, para não darem pancadas no autocarro, porque é novo e pode amolgar, tal como o meu carro, à entrada e à saída. Vamos de final em final, temos mais uma final importante contra o Portimonense, e precisamos desse equilíbrio, calma e tranquilidade sempre a apoiarmos. Manifestaram apoio na chegada ao estádio, à saída do hotel, durante o jogo, foi fantástico. Vamos estar empenhados para vencer sempre como fizemos hoje”, comentou depois na conferência de imprensa, antes de voltar a recusar louros pessoais sobre a grande recuperação no Campeonato que permitiu ganhar quase dez pontos ao FC Porto na segunda volta.

“Já o disse e reafirmo: isto só é possível com este grupo de trabalho empenhado e motivado. Tem feito de mim treinador e está a  ser uma experiência e uma aventura fantásticas. Estamos felizes mas sábado temos novo jogo. Temos de colocar de lado todo o aspeto emocional e concentrarmo-nos no nosso jogo”, salientou o técnico encarnado, ciente da mais do que esperada receção de adeptos encarnados quando a equipa chegasse de Braga, algo que aconteceu já depois da meia-noite (00h25), com seis bandeiras na zona da rotunda Cosme Damião e algumas tochas vermelhas a darem outra cor à festa.

De referir que, à semelhança do que já tinha acontecido noutras ocasiões, os adeptos benfiquistas já tinham marcado presença em número significativo na saída da equipa para o Norte, para o estágio antes do encontro com o Sp. Braga, bem como na chegada à unidade hoteleira em Gaia onde esteve até duas horas antes da partida, onde estava preparada uma grande tarja com a frase “O nosso destino é vencer” entre algumas centenas de apoiantes. Na Pedreira, marcaram presença mais de dez mil encarnados, tendo havido algumas escaramuças na bancada oposta onde estavam os adeptos visitantes.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)