Na indústria automóvel não faltam propostas na casa de vários milhões de euros. Pode parecer um exagero, mas há quem prefira encarar isso como um investimento, na medida em que, na maioria dos casos, trata-se de unidades de séries altamente limitadas e que, para mais, exibem o logótipo de marcas cuja cotação no mercado vai para além dos zeros. Fabricantes de “respeito” como a Bugatti ou a Ferrari, só para citar alguns exemplos, cujo histórico e produto já lhes permitiram (até) aventurarem-se numa outra vertente do negócio ainda mais lucrativa – a dos one-off, ou seja, carros feitos à medida do cliente, exemplares únicos pelos quais são cobradas autênticas fortunas.

Se alguém pagou 11 milhões de euros (antes de impostos) pelo Bugatti La Voiture Noire, apresentado na última edição do Salão de Genebra, não deixam de existir exemplos diametralmente opostos. Personalidades que, apesar de possuírem uma fortuna que lhes permitiria ter o carro (o avião, o helicóptero, o barco e afins…) que quisessem, continuam a encarar os automóveis por aquilo que são e não por aquilo que podem representar.

Imagina em que carro se desloca diariamente o CEO da Amazon? Pois, saiba que embora tenha uma riqueza avaliada em cerca de 143 mil milhões de euros, Jeff Bezos anda de Honda Accord, cujo preço de entrada no mercado norte-americano arranca nos 17 mil dólares (15.200€). Se acha este valor desprezível, espante-se porque o herdeiro do império Wal-Mart, com uma fortuna na casa dos 40 mil milhões de euros, consome apenas metade deste orçamento, ao preferir uma pick-up de 7.900€…

Percorra a galeria acima com a garantia de que nesta lista só constam milionários com um património acima de 30 mil milhões de euros. Porém, nada de Audi, BMW ou Mercedes. Nem a (pobre) Volkswagen tem lugar nesta garagem. A sequência das fotos obedece ao ranking dos mais ricos da Forbes e não ao valor da viatura em que se deslocam habitualmente (GoCompare).