Os criadores de pombos-correio já podem exportar para o México, juntando-se assim aos de leite e laticínios, que já exportam desde 2018 para este mercado, anunciou esta quarta-feira o Ministério da Agricultura.

“A internacionalização é uma das prioridades da política do Governo, constituindo um dos eixos mais importantes do reforço da competitividade do setor agroalimentar e da economia portuguesa, tendo em vista o aumento das exportações agroalimentares”, assegurou, em comunicado, o ministério liderado por Capoulas Santos.

De acordo com o Governo, as empresas interessadas deverão contactar as Direções de Serviços de Alimentação e Veterinária da sua região (DSAVR) ou os serviços competentes das Regiões Autónomas (RA), “por forma a conhecerem os requisitos específicos necessários” para dar início ao processo.

“Para a exportação, previamente ao início das operações para países terceiros, é geralmente necessário estabelecer com as autoridades competentes dos países de destino as condições e requisitos fitossanitários ou sanitários que têm que ser cumpridas, quer pelos operadores económicos, quer pela autoridade competente nacional, na certificação dos produtos a serem exportados”, explicou o Ministério da Agricultura.

O Governo já abriu 55 mercados para 208 produtos, 159 de origem animal e 49 de origem vegetal.

O Ministério da Agricultura está ainda a trabalhar na abertura de 59 mercados, para a viabilização da exportação de 273 produtos, dos quais 221 da área animal e 52 da vegetal.