PS

Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária recomendam retirar passadeiras coloridas de Campolide

15.348

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) acabou com as dúvidas e recomendou à Junta de Freguesia de Campolide que remova as duas passadeiras com as cores do arco-íris

"Acho grave que os responsáveis políticos estejam a fazer uma coisa que é uma ilegalidade e que retira o valor do sinal à passadeira", disse Miguel Trigoso

FRANCISCO ROMÃO PEREIRA/OBSERVADOR

Mais sobre

Será o fim das passadeiras coloridas? A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) acabou com as dúvidas e recomendou à Junta de Freguesia de Campolide que remova as duas passadeiras com as cores do arco-íris que foram pintadas na noite de domingo para segunda-feira.

Num comunicado citado pelo Jornal de Notícias, a ANSR considera que “nos termos do Regulamento de Sinalização do Trânsito (RST), os sinais de trânsito e as marcas rodoviárias devem obedecer às características definidas no que respeita a formas, cores, inscrições, símbolos e dimensões, bem como aos materiais a utilizar e às regras de colocação”.

A Autoridade esclarece que “embora a competência para a sinalização seja das respetivas entidades gestoras, a verificação da conformidade da sinalização das vias públicas com a legislação aplicável e com os princípios do bom ordenamento e segurança da circulação rodoviária cabe à ANSR”. E como as passadeiras em Campolide desobedecem ao estipulado no Regulamento de Sinalização do Trânsito, a ANSR recomendou à Junta a sua extinção.

Já o presidente da Prevenção Rodoviária tinha manifestado o seu desacordo com a medida da Junta de Freguesia de Campolide, em Lisboa: “Pintar as passadeiras com outras cores, mesmo mantendo o branco e colocando as outras cores nos intervalos é alterar o sinal, o que significa que deixa de ser uma passadeira”, disse ao jornal i.

José Miguel Trigoso não tinha dúvidas: passadeiras coloridas não são passadeiras. Quem ali for atropelado é como se o tivesse sido numa estrada, e os condutores não são obrigados a respeitá-las, não têm de parar para permitir que os peões passem, alertou nas declarações feitas ao diário na sua edição impressa. “O sinal não é só as listas brancas, é o global”, continuou o responsável, lamentando a iniciativa: “Acho grave que os responsáveis políticos estejam a fazer uma coisa que é uma ilegalidade e que retira o valor do sinal à passadeira”.

A Junta de Freguesia de Campolide já tem duas passadeiras com as cores do arco-íris, em homenagem à comunidade LGBTI, e tem previstas mais três. A ideia partiu dos representantes do CDS-PP na Junta de Freguesia de Arroios, que foi aprovada por unanimidade, levantando a polémica dentro do partido nacional. A medida acabaria por não ser concretizada por ser ilegal, disse então a presidente da Junta, Margarida Martins, ao Observador. Mas André Couto, autarca de Campolide que andou mesmo, com a equipa de funcionários da Junta, a pintar as passadeiras coloridas, discorda. Ao Observador explicou que desde que houvesse listas brancas, estava cumprida a lei.

E o que diz a lei? “As marcas rodoviárias têm sempre cor branca, com as exceções [quando utilizadas em sinalização temporária, em que devem ser amarelas, na delimitação de vias de acesso a portagem identificadas com o sinal H33, em que devem ser verdes] constantes do presente regulamento”, estipula o artigo 59º. do Regulamento de Sinalização de Trânsito. E o 61º. acrescenta que as passadeiras devem ser “constituídas por barras longitudinais paralelas ao eixo da via, alternadas por intervalos regulares”.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Europeias

Another brick in the wall?

Maria Castello Branco

Como todos os que desfrutaram da liberdade de circulação e do Erasmus bem sabem, a Europa é o pluralismo de nações, mas ela está demasiado centralizada e burocrática para que a diversidade seja ouvida

Crónica

Portugal, um país à prova de fake news /premium

José Diogo Quintela

Porra Vasily! Então, mas o que é que andas a fazer, pá? Portugal não necessita dos nossos trolls, nem das nossas fake news. Os partidos tradicionais encarregam-se de escangalhar a imagem da democracia

Eleições Europeias

Populismo e eleições europeias

Ricardo Pinheiro Alves

O crescimento do populismo xenófobo é alimentado pelo aumento do populismo igualitário, conduzindo a uma progressiva radicalização da vida pública como se observa actualmente nos países desenvolvidos.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)