Rádio Observador

Google

Google cria bolsa europeia de 10 milhões de euros para cibersegurança

Na inauguração do Centro Global de Engenharia de Segurança, em Munique, a Google disponibilizou 10 milhões de euros para associações e investigadores que promovam a cibersegurança "online e offline".

A Google tem sido a empresa tecnológica a ter coimas mais avultadas pela Comissão Europeia pela forma como protege dados pessoais

CLEMENS BILAN/EPA

São 10 milhões de euros. É este o valor que a Google, uma das maiores empresas de tecnologia do mundo, investiu numa bolsa europeia para combater o “ódio e extremismo nas comunidades” e “ajudar os jovens a estarem seguros quando estão online”. O anúncio foi feito esta terça-feira em Munique, na inauguração do novo Centro Global de Engenharia de Segurança (GSEC) da Google.

Aprender através de especialistas é a chave do nosso trabalho contínuo para fazermos produtos mais seguros e que possam ajudar as a pessoas a aproveitar tudo o que a Web tem para oferecer com confiança e segurança”, disse Kristie Canegallo, vice-presidente e Confiança e Segurança da Google.

As bolsas têm como público alvo organizações sem fins lucrativos, universidades, investigadores e associações de caráter social na Europa. As entidades que quiserem candidatar-se a este apoio da Google podem fazê-lo através do site da empresa para projetos e causas sociais (Google.org). Ao todo, cada projeto pode receber até um milhão de euros.

Com este montante, a Google quer incentivar “projetos online e offline” de entidades que trabalhem em temas que “não comecem necessariamente quando se abre um portátil ou acabem quando se fecha um”.

A empresa norte-americana deu como exemplo de causas que quer ajudar a parceria que já tem com o Instituto de Diálogo Estratégico (Institute for Strategic Dialogue), uma associação — “think thank” — que “está no terreno a trabalhar para uma experiência online mais segura”. A empresa já tinha lançado no Reino Unido um fundo semelhante, o Google.org Innovation Fund. No âmbito dessa bolsa, a empresa tecnológica ajudou a criar projetos como o KO Racism by Limehouse Boxing Academy, uma academia de boxe que alia cada sessão desportiva a discussões sobre racismo e preconceito, ou o Virtual Inclusion, da Open University, um programa de realidade virtual que permite ao utilizador simular um dia na vida de um jovem discriminado socialmente.

Vimos um impacto real com este fundo [Google.org Innovation Fund] ao nível do Reino Unido e, agora, queremos alcançar ainda mais a nível europeu”, disse Kristie Canegallo.

Um novo Centro de Cibersegurança global da Google com capital na Europa

O GSEC é mais uma das infraestruturas da Google a nível mundial para promover e trabalhar a cibersegurança dos utilizadores. Esta terça-feira estão em Munique vários responsáveis da empresa, como Kent Walker, vice-presidente de assuntos Globais, ou Stephan Miklitz, diretor de engenharia. O objetivo é o de dar a conhecer a nova infraestrutura em território europeu.

A inauguração deste centro ocorre no início da campanha para o Parlamento Europeu, que vai acontecer entre 23 e 26 de maio. A Google, à semelhança do Facebook, tem recebido várias críticas por permitir a disseminação de fake news (notícias falsas) que têm como propósito interferir em eleições. A empresa tem divulgado, à semelhança da concorrente liderada por Mark Zuckerberg, várias medidas para mitigar os efeitos destes fenómenos, como centros de triagem de conteúdos nocivos e alterações à forma como se pode encontrar notícias através do motor de pesquisa da Google.

A Google tem estado debaixo de um forte escrutínio pelas práticas concorrenciais e de tratamento de dados com que opera na União Europeia. No último ano, a Comissão Europeia aplicou coimas de milhares de milhões de euros  à empresa norte-americana. Numa primeira sanção recorde em julho de 2018, a Google foi multada pela forma como utiliza a informação dos utilizadores para obter receitas.

Noutro processo, em março, a Comissão voltou a sancionar a empresa pela forma como disponibilizou o Android, o sistema operativo móvel da Google, a algumas empresas de forma a incentivar que os utilizadores apenas utilizassem os programas informáticos da multinacional norte-americana nos smartphones.

*O Observador está em Munique na inauguração do Centro Global de Engenharia de Segurança a convite da Google

Oiça as melhores histórias destas eleições europeias no podcast do Observador Eurovisões, publicado de segunda a sexta-feira até ao dia do voto.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mmachado@observador.pt
Privacidade

Gratuito é mentira

João Nuno Vilaça
140

Que estamos a ceder em troca destas aplicações e serviços gratuitos? A nossa alma? Quase. Estamos a ceder os nossos dados, que são extremamente valiosos e pessoais. São o recurso mais valioso do mundo

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)