André Ventura vai continuar como cabeça de lista da coligação Basta nas eleições para o Parlamento Europeu (PE), em 26 de maio, decidiram na noite de terça-feira, em reunião, os líderes das forças políticas que apoiam e integram a coligação.

“Não só aprovámos a continuação, como também aprovámos um voto de confiança a todo o trabalho desenvolvido na campanha e entendemos que a quebra de confiança deu-se [devido] a decisões da RTP e não do nosso cabeça de lista”, afirmou à Lusa a mandatária da coligação que também integra a lista, Sofia Afonso Ferreira.

O candidato pela coligação Basta colocou na terça-feira o lugar à disposição depois de ter faltado ao debate eleitoral na RTP3 – transmitido na noite de segunda-feira — para participar num outro de cariz desportivo na CMTV, onde é comentador habitual.

A mandatária, que é também fundadora do movimento Democracia 21, explicou que “estava previamente combinado, já com alguma antecedência”, que André Ventura “estaria no debate” entre os candidatos sem representação no PE.

Assegurando que a estação televisão pública tinha sido avisada de que o candidato iria depois estar presente no outro programa na CMTV, Sofia Afonso Ferreira imputa culpas à RTP: “Estava tudo agendado e à última da hora a RTP alterou a hora e também não permitiu que [o cabeça de lista] fosse substituído.”

“Teve de ser tomada uma decisão e o nosso cabeça de lista respeitou o que já estava decidido com o outro canal, em que não houve alterações”, explicou, acrescentando que “não é o final do mundo o cabeça de lista não comparecer num debate”.

Ainda assim, a mandatária confessa que a coligação não estava à espera “que houvesse tanta polémica”, mas descarta o prejuízo que poderá ter nas urnas de voto.

“Há sempre contestação e pessoas a apoiar. Fizemos o que nos competia. Quando há uma situação [para resolver], os líderes [do partido Chega, Partido Popular Monárquico, Partido Cidadania e Democracia Cristã e movimento Democracia 21] reúnem-se e tomam decisões”, vincou.

Por isso, Sofia Afonso Ferreira assegurou que “o cabeça de lista continuará”.