As Nações Unidas vão financiar com 4,1 milhões de euros um projeto em São Tomé e Príncipe destinado a promover a funcionalidade dos ecossistemas e a mitigação das alterações climáticas, anunciou fonte governamental.

“O governo reporta de grande importância este projeto para o desenvolvimento do setor florestal e para a nossa sobrevivência em São Tomé e Príncipe”, disse hoje o ministro da Agricultura, Pescas e Desenvolvimento Rural, Francisco Ramos, na abertura de um ateliê de apresentação do referido projeto.

Lançado em agosto do ano passado, este projeto destina-se a promover a restauração e gestão sustentável dos ecossistemas florestais, com vista a reduzir as emissões de carbono, resultantes da desflorestação e reverter a degradação do solo.

“Com o arranque deste projeto, estamos convencidos que estarão criadas as premissas fundamentais para a melhoria da exploração sustentável dos recursos florestais e a erradicação da extração ilegal da madeira no nosso país”, sublinhou Francisco Ramos.

O representante da organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) para África Central, Hélder Muteia, que iniciou hoje uma visita de uma semana a São Tomé e Príncipe, defendeu que “a sustentabilidade ambiental é fundamental para que a vida continue no planeta”.

“O nosso planeta é feito de uma base de recursos naturais: solos, terras, florestas, faunas e é do equilíbrio destes recursos que nós encontramos o alimento, o ar que respiramos, a qualidade de vida em todos os aspetos sociais, económicos e até culturais”, explicou Hélder Muteia.