Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

São mais de 100 os automóveis da GNR parados há mais de um mês nas instalações da Escola da Guarda, em Queluz. As viaturas a estrear pelas forças da GNR estão imobilizadas desde o início de maio, escreve esta quinta-feira o Jornal de Notícias (link não disponível).

Contactada por este jornal, a Associação Nacional de Sargentos da Guarda (ANSG) diz temer que o atraso relativo à entrega da centena de veículos aos respetivos postos territoriais  — muitos deles com falta de veículos para serviços básicos — se deva a um “número político” pensado para ano de eleições. A mesma associação considera “lamentável” que o espaço em questão esteja a ser usado enquanto “entreposto automóvel”.

Já o Ministério da Administração Interna (MAI) esclarece àquele jornal que os carros estão a ser avaliados para “garantir a conformidade com o caderno de encargos”, assegurando que os veículos serão disponibilizados já na próxima semana aos guardas, após a instalação do sistema de comunicação (entre outros equipamentos).

Segundo o MAI, além dos mais de 100 carros parados há mais de um mês, 105 viaturas chegaram na segunda-feira à Escola da Guarda e outras 18 na terça-feira.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR