O processo de demolição “por desmontagem” de três das cinco torres que constituíam o Bairro do Aleixo, no Porto, já começou estando o fim dos trabalhos previsto para o final do ano.

A informação foi confirmada pela FundBox, a entidade gestora do Inversurb, o Fundo Especial de Investimento Imobiliário Fechado criado em 2010 para gerir o projeto do Bairro do Aleixo, no Porto, que avançou ainda que o processo de desmontagem se iniciou na manhã de quinta-feira na torre 1, depois de finalizado o processo de retirada do amianto presente nos edifícios.

“Foi preciso aguardar que fosse feita a remoção de todo o amianto da cobertura das torres que obedece a um processo especial e, portanto, isso foi um bocadinho mais demorado. A máquina [da desmontagem] entretanto foi montada durante a semana no local e agora está a trabalhar”, afirmou.

Em declarações à Lusa, Manuel Monteiro de Andrade, administrador-delegado da Fundbox explicou que esta demolição por desmontagem “é um processo que começa com uma máquina bastante potente e poderosa que consegue chegar à cobertura das torres e que faz a demolição até uma certa altura”.

D altura para baixo, continua o administrador, “entram outras máquinas, mais convencionais, que podem prosseguir com os trabalhos”.

“Depois há todo um trabalho de separação dos resíduos da demolição e da sua valorização, ou seja, os betões irão ser todos transformados em brita para ser integrados em processos construtivos, o ferro é todo separado e levado à siderurgia, as madeiras são levadas para serem transformadas em aparadas ou para serem reutilizadas para lenhas ou “pellets”, concluiu.

À Lusa, Manuel Monteiro de Andrade sublinhou que o processo está a ser acompanhado, desde o primeiro momento pela Quercus, que no início de maio, tinha defendido, numa carta enviada à autarquia, estar disponível para apoiar um trabalho demolição seletiva, com o reaproveitamento e valorização dos materiais existentes nas torres.

Ainda segundo aquele responsável, a desmontagem nas torres 2 e 3, será feita progressivamente há medida que vão avançando os trabalhos na torre 1, mantendo, se não surgir nenhum constrangimento adicional, o prazo de seis para a conclusão dos trabalhos.

Com a demolição da Torre 5 em 2011 e da Torre 4, em 2013, no último mandato de Rui Rio, restavam apenas três das cinco torres que constituíam atualmente o Bairro do Aleixo, no Porto.