Rádio Observador

Desporto

Minsk2019: Portugal defende sete das 10 medalhas dos Jogos Europeus Baku2015

192

Aos 33 anos, Telma Monteiro apresenta-se com a experiência e a consistência de resultados internacionais, que já lhe tinham valido, entre outras, a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos do Rio2016.

ABIR SULTAN/EPA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

Portugal apresenta-se nos II Jogos Europeus, de sexta-feira a 30 de junho em Minsk, com sete atletas/equipas a defender o lugar de pódio de Baku2015, enquanto os outros três medalhistas viram as duas modalidades sair do programa. Entre os sete, estão Telma Monteiro, no judo, e Marcos Freitas e Tiago Apolónia — em Baku foram acompanhados de João Geraldo, agora substituído por João Monteiro –, em equipas de ténis de mesa.

Aos 33 anos, Telma Monteiro apresenta-se com a experiência e a consistência de resultados internacionais, que já lhe tinham valido, entre outras, a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos do Rio2016.

Marcos Freitas e Tiago Apolónia, respetivamente quarto e sétimo do ‘ranking’ europeu, estão acompanhados de João Monteiro, 20.º, num trio com capacidade para lutar pelos melhores lugares individuais, mas sobretudo coletivos — em Baku2015, o ouro surgiu depois de triunfo por 3-1 na final sobre a França.

Rui Bragança, que tinha sido ouro no taekwondo na categoria de -58 quilos, e o seu colega Júlio Ferreira, que foi medalha de bronze, viram a sua modalidade sair do evento, tal como aconteceu com o triatlo, no qual João Silva foi vice-campeão. Bragança, atual 14.º do ‘ranking’ mundial e sétimo europeu, batera no combate decisivo o espanhol Jesus Tortosa Cabrera por 6-5.

O canoísta Fernando Pimenta foi o único português a conquistar duas medalhas em Baku, ambas de prata, em K1 1000 e 5000, distâncias nas quais é o atual campeão do mundo. O limiano assume agora o desafio de fazer algo a que está habituado, subir ao mais alto lugar do pódio – tem no currículo 86 medalhas internacionais –, numa seleção de canoagem com mais embarcações com potencial de surpreender.

No tiro, o experiente João Costa não desdenhará repetir a prata em pistola de ar comprimido a 10 metros. O futebol de praia mantém oito dos elementos que há quatro anos chegaram ao bronze, distinção que Beatriz Martins conseguiu com Ana Rente (não está em Minsk) em trampolins sincronizados.

A comitiva de 99 desportistas conta com 31 repetentes, destacando-se os oito da comitiva de 12 do futebol de praia, os sete dos 14 canoístas e os seis de entre os 17 do judo. A maior delegação é, contudo, a do atletismo, modalidade que se estreia nestes Jogos Europeus, sem que Portugal leve as maiores figuras do país nos 21 convocados.

Além do atletismo, também o tiro com arco, o scratch e a corrida por pontos no ciclismo de pista surgem como novidades nesta competição quanto à representação lusa, que perdeu a natação, BMX e BTT no ciclismo, além dos já referidos taekwondo e triatlo. Portugal vai competir em atletismo, badminton, futebol de praia, canoagem, ciclismo (estrada, contrarrelógio e pista), ginástica (artística, trampolins, aeróbica e acrobática), judo, karaté, lutas amadoras, tiro, tiro com arco, tiro com armas de caça e ténis de mesa.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)